E.M. América Sabino Coimbra

Início / inauguração: 28/11/1968

 

 

 

 

 

E.M. Anita Garibaldi

Início / inauguração: 20/08/1949

 

 

HISTÓRICO DA INSTITUIÇÃO

Hoje, a Escola Municipal “Anita Garibaldi”, está situada à Rua Santa Lídia n.º 95, no Jardim Espanha, no Município de Londrina, Estado do Paraná, desde a sua municipalização em 20/01/2006. Antes era situada à rua Santa Apolônia n.º 248, Vila Fraternidade neste mesmo município. Sua escritura pública foi lavrada às folhas 98 no livro nº. 7, registrada sob o n.º 2993 em 22 de setembro de 1961, na qual determina a transferência da Escola Municipal Anita Garibaldi para a denominada vila do Grilo, nesta cidade.

A Escola foi criada pela lei n.º 59, de 20 de agosto de 1949, assinada pelo prefeito Municipal de Londrina, Sr. Milton Ribeiro Menezes, na Gleba Três Bocas, na propriedade dos irmãos Andrielli, no sítio do Gallos. Construída em 1949, a Escola contava com 1 sala de aula de 9 x 6 metros e 2 sanitários, tudo em madeira. Foi inaugurada em 21 de janeiro de 1950, durante a administração do Prefeito Municipal Sr. Hugo Cabral.
      
Pela lei n.º 650, de 18 de setembro de 1961, a Escola foi transferida e reconstruída na vila Fraternidade (antiga vila do Grilo), ocupando um terreno doado pelo Sr. João Andrielli e esposa, cuja área é de 747.15 m2 e sua área de construção 210.02 m2, comportando 2 salas aula, uma para classe especial, uma varanda e um sanitário. Foi inaugurada durante a administração do Prefeito Sr. Milton Menezes.
      
Iniciou suas atividades em 1962, com 62 alunos de 1ª e 2ª séries, com as professoras Maria Fuzinatto e Carmélia Hirata, zeladora Ana Bissikirskas; sua primeira diretora foi a professora Fátima Stoffel Furtado.
     
Sendo insuficientes duas salas de aula para comportar o número de alunos existentes na Escola, foi alugado um barracão pertencente à Igreja da Vila que comportava uma sala de professores, uma cantina e uma sala de aula.
     
Em 1974, a Escola foi reformada e ampliada e passou a contar com três salas de aula, uma diretoria, uma sala de professores, uma cantina, uma sala para classe especial, um almoxarifado, um pátio coberto, um sanitário para professores e dois sanitários para alunos, num total de 11 dependências em madeira e alvenaria.
     
A inauguração das novas dependências foi feita no dia 06 de Outubro de 1974, durante a administração do prefeito Dr. José Richa. Nessa época a Escola contava com quatro períodos de funcionamento, 21 professores e 334 alunos.
    
Em 1977, durante a administração do Sr. Antonio Casemiro Belinati, a escola foi novamente ampliada, sendo construída mais uma sala de aula e um almoxarifado em alvenaria.
      
Autorização de funcionamento do 1º grau.
       - Resolução nº. 908, de 11 de março de 1983;
       - Resolução nº. 4967, de 29 de dezembro de 1987;
       - Resolução nº. 2363, de 28 de abril de 1993.
     
A Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 assumiu formalmente, os mesmos princípios postos na Declaração Universal dos Direitos Humanos. Além disso, introduziu no país, uma nova prática administrativa, representada pela descentralização do poder.
     
A partir da promulgação desta Constituição, os municípios foram contemplados com autonomia política para tomar as decisões e implantar os recursos e processos necessários para garantir a melhor qualidade de vida para os cidadãos que neles residem. Assim, cabe ao município, mapear as necessidades de sues cidadãos, planejar e implementar os recursos e serviços que se revelam necessários para atender ao conjunto de suas necessidades, em todas as áreas da atenção pública.
      
Em 1994, durante a administração do Sr. Luiz Eduardo Cheida, a Escola foi demolida e construída totalmente em alvenaria, constatando das seguintes dependências: quatro salas de aula, secretaria, diretoria, sala de professores, sanitário para professores, sala para supervisão, sala para atendimento individual, cozinha, dispensa, sanitários masculino e feminino.
      
Em 1995 assumiu a direção a professora Lúcia Santos de Oliveira.
     
Os municípios brasileiros receberam, a partir da Lei de Diretrizes e Bases Nacionais (Lei n.º 9.394 de 20/12/1996), a responsabilidade da universalização do ensino para os cidadãos de 0 a 14 anos de idade, ou seja, da oferta de Educação Infantil e do Ensino Fundamental para todas as crianças e jovens que neles residem. Assim, passou a ser responsabilidade do município formalizar a decisão política e desenvolver os passos necessários para implementar, em sua realidade sócio-geográfica, a educação inclusiva, no âmbito da Educação Infantil e do Ensino Fundamental.
     
Em fevereiro de 1996, a Escola iniciou suas atividades com período integral, sendo 2ª, 3ª e 4ª séries no turno matutino e 1ª série e contraturno no período vespertino.
     
Em março de 1996, deu-se a implantação do Conselho Escolar, sendo organizado e regulamentado conforme todas as instruções enviadas pela Secretaria Municipal de Educação.
     
Em abril de 1996, iniciou no período vespertino o Ensino Pré-Escolar.
      Resolução de Autorização de funcionamento e reconhecimento do Estabelecimento e curso – 25 e 28/82 – D.D.E. de 11 de novembro de 1982.
      Resolução nº. 267/97 – autoriza o funcionamento do Curso Educação Infantil na modalidade de Jardim III.     

Os atos oficiais expedidos pela SEED referente aos estabelecimentos de ensino sairam com a nomenclatura adequada: Escola Municipal Anita Garibaldi – Educação infantil e Ensino Fundamental.
      1998 – Resolução nº. 797/98 – renovação por tempo indeterminado. A partir desse ano o prazo de autorização de funcionamento do Ensino de 1º grau – 1ª à 4ª - será concedido pela Resolução nº 2528/82 de 20/09/1982.
      1999 – Ato Oficial de autorização de funcionamento da Educação Infantil deste estabelecimento – Resolução 2691/2000 de 18 de agosto de 2000 por mais 3 anos.
     
O Diretor Geral em Exercício da Secretaria de Estado da Educação, no uso das atribuições que lhe foram delegadas pela Resolução nº 900/99, de 25 de fevereiro de 1999, resolve prorrogar o prazo de autorização para funcionamento da Educação Infantil, concedido pela Resolução nº 269/97, de 27 de janeiro de 1997, por mais 3 anos, a partir de 2000.
      A resolução nº 05/06 de 02 de março de 2006, autoriza a mudança de endereço da Escola Municipal Anita Garibaldi – Educação Infantil e Ensino Fundamental, que funcionava na rua Santa Apolônia nº 248 – Vila Fraternidade, passando a funcionar à rua Santa Lídia nº. 95 – Jardim Espanha, onde funcionou a Escola Estadual Monteiro Lobato, até dezembro de 2005.
      - Deliberação 001/03 de 25/02/2003
      - Parecer 093/06 de 15/03/2006
      - Parecer 565/02 – aprovação do regimento escolar.
      Hoje a escola consta de período matutino com 3ª e 4ª séries e contraturno e no vespertino com Pré, 1ª e 2ª séries. 

     

 
NOSSA PATRONESSE

BIOGRAFIA DE ANITA GARIBALDI – ANA MARIA DE JESUS RIBEIRO 


Heroína brasileiraanita garibaldi. Nasceu a 30 de agosto de 1819, em Morrinhos, Estado de Santa Catarina, e faleceu a 04 de agosto de 1849, nas proximidades do Santo Alberto na Itália. Os pais, embora pobres, deram-lhe excelente educação. Enamorou-se na cidade de Laguna, em 1839 de Giusepe Garibaldi, guerrilheiro italiano, entusiasta das luta de libertação e independência, que se encontrava no Brasil, planejando a “Guerra dos Farrapos”. Devido à oposição dos pais, Garibaldi raptou-a, indo legalizar o casamento em 26 de março de 1842, no Uruguai. Tornou-se intrépida companheira de aventuras do marido, do lado dos “Farrapos”. Na primeira batalha naval, ao lado dos “Farrapos”, derrubada por uma bala de artilharia, no convés do navio, escapou milagrosamente, enquanto dois homens morriam a seu lado.
    
Aprisionada pelo inimigo, conseguiu habilmente evadir-se, permanecendo quatro dias escondida na floresta, sem alimentação, procurada pelos legalistas. Certa vez, estando o marido ausente, irrompeu subitamente uma batalha; Anita, sem hesitar, substituiu-o no comando fazendo funcionar o canhão, confiado a guarda dele. Conquistou, no combate das forquilhas, o título de “bravo entre os bravos”. No Uruguai, lutou ao lado das forças de Oribe, contra o ditador Rosas.      

Depois de fixar residência, por algum tempo em Montevidéu, embarcou, em março de 1848, no barco “Esperança” rumo à Itália, em companhia do esposo. Tomou parte nas lutas pela libertação e unificação da Península. Em Luisso, nas proximidades dos Apeninos, quando empenhada numa campanha pra levar socorro a Veneza, sitiada pelos austríacos, sentiu manifestar-se o enfraquecimento dos pulmões, mal de que veio a falecer, pouco tempo depois. Deu, em vida, inúmeros exemplos de intrepidez na guerra e de solicitude para com os enfermos e feridos.
    
Os italianos guardam seus despojos, no cemitério de Nice. Em Ravena, sobre o Adriático, foi levantado um monumento e no Brasil, inaugurou-se um busto de Anita Garibaldi, em 1913, na capital mineira. Anita Garibaldi é símbolo da mulher heroica brasileira, e definitivamente, ficou vinculada à historia de nossa terra.

E.M. Armando Rosário Castelo

Início / inauguração: 04/10/1985

 

armando rosario

 

 

 

E.M. Aristeu dos Santos Ribas

Início / inauguração: 25/06/1980

  

HISTÓRICO DA INSTITUIÇÃO

A Escola Municipal Aristeu dos Santos Ribas – Educação Infantil e Ensino Fundamental, situada na Rua Abílio Justiniano de Queiroz, nº 835, no Conjunto Habitacional João Paz, zona urbana de Londrina, foi inaugurada em 25.06.80, durante a administração do Prefeito Antonio Belinati. Iniciou suas atividades em dois turnos, com 435 (quatrocentos e trinta e cinco) alunos, no dia 10 de março do mesmo ano, com 09 (nove) salas de aula, uma sala de professores, uma secretaria, uma diretoria, uma sala de coordenação pedagógica, uma cantina, dois BWC de alunos, um BWC para professores e um almoxarifado.

A primeira Associação de Pais e Mestres da Escola Municipal Aristeu dos Santos Ribas, foi fundada em 14 de abril de 1980.

Em 29 de outubro foi criada a Biblioteca Sucursal que passou a funcionar numa das salas da escola.

Com a implantação da Lei 5692/71 nas Escolas Municipais de Londrina, a Escola Municipal Aristeu dos Santos Ribas recebeu autorização para funcionamento através da resolução nº 3857/82, com efeito retroativo a 1980.

A denominação da Escola, que recebeu o nome em homenagem ao Promotor Aristeu dos Santos Ribas, deu-se através do decreto 333/80, de 25/06/80.

Em 1981, a Escola estende o seu atendimento, funcionando de 1ª a 4ª séries no período diurno e de 5ª a 8ª séries no período noturno sendo a entidade mantenedora a Prefeitura Municipal de Londrina, sob a direção da professora Inez Passos Andrade.

Em consulta a documentos sobre o histórico da modalidade de 5ª a 8ª séries Ensino de 1º Grau não obteve-se informações suficientes para a realização de relatos históricos, somente que a documentação referente a estas séries, consta no histórico escolar, decreto n.º 333 de 25/06/1980, de acordo com a Lei 5692/71. Em 1983, a escola sofre uma alteração administrativa e passa a ofertar exclusivamente as primeiras séries do 1º grau, com dois turnos diurnos, sob responsabilidade da Prefeitura Municipal de Londrina; um diurno e um noturno, sob responsabilidade do Governo do Estado do Paraná, iniciando desta forma a dualidade administrativa.

Em 1984, com a Administração do Prefeito Wilson Moreira, a Secretaria Municipal de Educação, através de seu Secretário Manoel Barros, estabelece que a escola funcione nos turnos matutino e intermediário e a Escola Estadual de 5ª a 8ª séries nos turnos vespertino e noturno. Portanto, os professores do turno vespertino, sem opção de escolha, passaram a trabalhar no turno intermediário, das 10h30min às 14h30min.

Em 1987, a escola é ampliada, passando a ter 11 (onze) salas de aula, aumentando assim o número de turmas. Até o ano de 1990 o que determinava quem seria a diretora ou diretor de uma escola era o processo de indicação. Em 1989 o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Londrina iniciou uma campanha de discussão sobre o melhor processo para escolha de diretores(as) das escolas municipais: indicação, eleição ou carreira. Após várias reuniões o processo escolhido foi o de eleição direta com a participação de professores(as), funcionários(as) efetivos(as), pais, mães ou responsáveis de alunos(as).


Em 1990 ocorre a primeira eleição para Diretores(as) das Escolas Municipais com a participação de professores e funcionários e esta escola elegeu a diretora Inez Passos Simões que permaneceu nesta função até 1994. No início de 1995 saiu a sua aposentadoria.

Em 1991 reivindicou-se o atendimento para a modalidade de pré-escola, o qual iniciou em 22 de abril de 1991.

No início, o atendimento dos alunos da pré-escola era feito num salão do Centro Comunitário, e, posteriormente, nesse mesmo local, foi construído 01 (uma) sala específica para esse atendimento, sendo finalizada com recursos da Prefeitura Municipal de Londrina. Em 03 de novembro de 1992, através da resolução nº 3803/92, fica autorizado o funcionamento do Ensino Pré - Escolar - Jardim de Infância na Escola. Em decorrência disso, a escola passou a denominar-se: Escola Municipal "Aristeu dos Santos Ribas" Ensino Pré - Escolar e de 1º Grau. Ficando prorrogado até o final do ano letivo de 1997 o prazo de autorização de funcionamento do Ensino Pré - Escolar, conforme resolução 1867/94 de 06 de Abril de 1994, Deliberação nº 30/80, do Conselho Estadual de Educação.


Entretanto, devido a distância e dificuldade de integração administrativa e pedagógica entre escola e pré, constata-se a necessidade do atendimento desta modalidade de ensino ser feito na própria escola. Em 09 de Dezembro de 1994, ocorre a segunda eleição direta para Diretores(as) das Escolas Municipais de Londrina e a candidata Maria Cristina Villa, que tinha cargo de supervisão há anos nesta escola, desta vez sendo a eleição com participação dos professores, funcionários, pais ou responsáveis de alunos e alunos maiores de 16(dezesseis) anos.


Em 1995, assume o cargo de direção a servidora Maria Cristina Villa que deu continuidade ao cargo de supervisão enquanto Projeto Transdisciplinar nas funções de Direção e Supervisão até final de 2008. A escola é ampliada, através do Recurso do MEC/FNDE, com a construção de uma sala específica para o atendimento de Educação Infantil, tendo seu início de funcionamento em 16/08/95 e inauguração em 01 de Novembro de 1996, facilitando assim a organização pedagógica e administrativa desta modalidade.


Em 1996, ocorre a reforma parcial da escola com recurso próprio da Prefeitura, tendo como melhoria a pintura. A ampliação e reforma se dá na administração Prefeito Luiz Eduardo Cheida e Secretário de Educação Luiz Carlos Bruschi. Em 27 de fevereiro de 1996, é implantado o Conselho Escolar de acordo com o disposto na Lei nº 6021, de 28 de Dezembro de 1994, tendo a sua primeira eleição nessa mesma data.

Em 1997, elabora-se o primeiro Projeto Político Pedagógico descritivo em documento próprio de acordo com o solicitado pela Secretaria da Educação do Estado do Paraná. Até 1997 a escola mantinha a dualidade administrativa, sendo Maria Cristina Villa a diretora das turmas de pré e 1ª a 4ª séries nos turnos da manhã e intermediário no horário das 7h30 às 14h30, como Escola Municipal "Aristeu dos Santos Ribas" - Ensino Pré - Escolar e de 1º Grau, e sendo Lúcia Hatsue Simomura Muraguchi, funcionária do estado, diretora das turmas de 5ª a 8ª séries nos turnos vespertinos e noturno no horário das 14h30min. às 22h30min. como Colégio Estadual Sagrado Coração. A dualidade administrativa era conflitante, a cada ano decorrido a escola apresentava-se mais depredada devido a conduta administrativa da direção estadual acompanhada da indisciplina de parte dos alunos. A maioria dos reparos da escola eram administrados pelo setor municipal. A direção estadual não demonstrava empenho em fazer os acertos. Em decorrência destes problemas a reivindicação dos professores do município se deu em torno do rompimento com a dualidade administrativa através da construção de outra instituição de ensino específica para atendimento desta modalidade.


Em meados de 1996 iniciou a construção de uma outra escola destinada para este fim situada bem próxima a este estabelecimento de ensino na Rua Rudolf Keilhold, nº 173, Conjunto Habitacional Semiramis Barros Braga, com término em janeiro de 1998.

Em 1998 as atividades escolares iniciam com a formação de 19 (dezenove) turmas atendendo no mês de Março o total de 520 (quinhentos e vinte) alunos matriculados.

Com o término da construção da nova escola a modalidade de 5ª a 8ª mudou-se para o novo local com a mesma denominação de Colégio Estadual Sagrado Coração, no Conjunto Habitacional João Paz, assim esta escola deixou de ter dualidade administrativa passando o prédio escolar a atender especificamente o ensino Pré-escolar e de 1ª a 4ª séries, eliminando, o turno intermediário. Em virtude disso, o horário de funcionamento desta escola passou a ser no turno matutino das 7h30min. às 11h30min. e no vespertino das 12h30min. às 16h30min., sendo este último horário uma proposta que foi aprovada em Assembléia pelos profissionais de educação em exercício nesta escola e pelos pais ou responsáveis de alunos no horário em questão. A partir da saída dos alunos e profissionais do Colégio Estadual Sagrado Coração deste prédio escolar, ficaram evidentes situações como: redução de gastos, valorização dos trabalhos feitos por alunos e professores, a não ocorrência de danos físicos, materiais e depredações ocasionados por alunos de 5ª a 8ª séries nesta escola, tornando-se um local tranqüilo.


Em 03 de Fevereiro de 1998 recebe posse e é designada para exercício na função de diretora, a supervisora, Maria Cristina Villa que foi reeleita com os votos dos pais, professores e funcionários através das Eleições Diretas para Diretores de Escolas Municipais de Londrina para a gestão de mais três anos continuando com o projeto de aglutinação das funções de direção/supervisão com a autorização da Secretaria de Educação. Em 04 de Fevereiro de 1998 deu início as reformas dos banheiros masculino e feminino, da cozinha e construção de uma área de serviço. A escola se responsabilizou com os gastos em materiais e a Prefeitura do Município de Londrina repassou a verba de R$6.000,00 (seis mil reais) para gastos com mão-de-obra licitada. Esta reforma aconteceu na administração do Prefeito Antonio Casemiro Belinati, Secretário de Educação José Dorival Peres e o Secretário da Fazenda Luiz Cezar Guedes.


Em 16 de Março de 1998 a diretora solicita à Secretaria de Educação a inclusão desta escola no Projeto de Descentralização dos Estudos correspondentes às quatro primeiras séries do 1º Grau, no período noturno, para jovens e adultos. Esta solicitação é feita para atender a demanda de 50 (cinqüenta) pessoas cadastradas que demonstraram interesse nesta modalidade de ensino. Em 20 de Maio dá início as aulas de Educação de Jovens e Adultos. Em 18 de Maio é aprovado em Assembléia Geral de pais, professores e funcionários o Estatuto do Conselho Escolar.


Nos anos de 1995, 1997, 1998, 2000 e 2002 a escola participa do Processo de Avaliação do Sistema Educacional do Paraná destacando-se em 1997 e 1998 como a melhor média de todas as escolas participantes do Estado do Paraná, fruto de um trabalho de acompanhamento constante orientado da supervisão, ações compartilhadas dos professores e recuperação de estudos no turno vespertino desenvolvidas com professoras eficientes, maioria dos alunos com estudos permanentes na escola, realidade cultural, sócio-econômica menos preocupante, sem fluxo de entrada e saída e reflexo do empenho da escola no desenvolvimento de uma educação séria em busca da qualidade de ensino.

Em 2000, a direção da escola consegue através da parceria da escola com a Secretaria de Educação o calçamento e a construção de um muro no fundo da escola visando a entrada e saída dos alunos e professores. A escola ganhou em dois aspectos: como a travessia dos alunos se dava diretamente na rua em outra entrada, eles sempre estavam expostos a acidentes com veículos que transitam no local, com a construção este problema foi atenuado e os professores com veículos adquiriram um local de estacionamento evitando furtos e roubos. Em Dezembro de 2000, é reeleita a Supervisora Maria Cristina Villa para a função de Diretora, através das Eleições Diretas para Diretores de Escolas Municipais para a gestão de 03(três) anos, dando continuidade ao Projeto Transdisciplinar de aglutinação nas funções de Direção e Supervisão.


Nos anos de 2002 e 2003 intensifica-se a reivindicação sobre a reforma do prédio escolar, inclusive a construção de uma quadra coberta destinada às aulas de Educação Física e recreação. O recurso foi liberado em 2002 e aguarda a tramitação burocrática da Prefeitura do Município de Londrina, necessária para o início dos trabalhos. No ano de 2002 dá-se continuidade a reivindicação da reforma do prédio escolar. Em 2003 o projeto da reforma é discutido entre as partes, Secretaria de Educação e escola, porém por problemas de ordem técnica o mesmo é devolvido ao engenheiro responsável, o qual demora para a finalização, interrompendo desta forma os trâmites legais das etapas necessárias antes de se dar a execução da reforma: aprovação do projeto, licitação, entre outros.


No final do ano de 2004 o projeto é entregue e na seqüência é aprovado e desde então a justificativa é de que não há recurso financeiro para a execução. Em 2006, a direção solicita providências quanto alguns problemas já identificados e que demandam prioritariamente consertos e reformas independente do projeto. Em virtude deste pedido a Gerência de Planejamento da Secretaria de Educação informa à diretora que foi solicitado uma planilha de orçamento diante da vistoria realizada na escola e que neste ano num primeiro momento os serviços seriam executados diante destas emergências, porém não ocorre a execução de todo o projeto por falta de recurso destinado para as demais mudanças e melhorias do prédio escolar.

Em Dezembro de 2003 é reeleita a diretora Maria Cristina Villa que assume o cargo em 2004 para exercer a função por mais 04(quatro) anos. No início do ano de 2004, a Secretaria de Educação, solicitou que a escola realizasse uma consulta aos pais, mães ou responsáveis de alunos e professoras sobre a concordância ou não do horário de funcionamento da escola, 7h30min. às 11h30min. para o turno matutino e 12h30min. às 16h30min. para o turno vespertino.

Em 19 de Fevereiro de 2004, após realizada a consulta constata-se a confirmação que a maioria das 223 pessoas que compareceu à reunião aponta a concordância com o horário escolar e que não destaca preferência para o horário das 8h às 12h no turno matutino e 13h30min. às 17h30min. no vespertino. Somente 06(seis) votantes manifestaram preferência por outro horário sendo que 04(quatro) preferiram das 8h às 12h, 01(um) optou pelo horário das 13h00 às 17h30 e 01 (um) para que fosse das 14h às 18h, totalizando 2,69% desfavoráveis. Conclui-se que 97,3% demonstraram satisfação com o horário em vigência desde 1998.

Em 2007, através do Decreto nº 534, de 11 de Setembro de 2007, que trata da regulamentação do processo de Eleição de Diretores e Diretoras das Unidades Escolares da Rede Municipal de Londrina, coloca no art. 13, parágrafo 2, que havendo somente um registro de candidatura na unidade, fica prejudicada a realização do pleito, passando a cargo da Secretaria Municipal de Educação nomear o diretor ou diretora inscrito no processo, ficando vetada a indicação de candidatos ou candidatas não eleitos(as) neste pleito na Rede Municipal de Ensino. Como nesta escola o único registro de candidatura foi o da supervisora Maria Cristina Villa, a Comissão Eleitoral Central, em conformidade com o decreto, dispensa o processo eleitoral para direção nesta unidade escolar, nomeada e empossada em 2008 como diretora para mandato de 03(três) anos.

Em 2007, na Administração do Prefeito Nedson Luiz Micheleti e a Secretária de Educação Carmen Lucia Baccaro Sposti, inicia-se a construção da quadra coberta com término em Março deste ano. Esta obra é entendida como uma conquista devido a morosidade e foi bem vinda, pois beneficia muitos alunos, alunas e professoras desta escola. É um espaço destinado às aulas de Educação Física, recreação e lazer. Em Novembro de 2007 realizou-se uma consulta às professoras e pais, mães e responsáveis de alunos sobre a aprovação ou não da alteração do horário de funcionamento dos turnos matutino e vespertino. A proposta apresentada pela escola para o turno matutino foi a entrada às 8(oito) horas e para o turno vespertino às 13(treze) horas. Vale salientar que a proposta já havia sido apresentada em Fevereiro de 2007 e constatou-se que a maioria ficou satisfeita. Participaram desta decisão 294 (duzentos e noventa e quatro) pessoas, das quais 05 (cinco) discordaram e 289 (duzentos e oitenta e nove) concordaram. Tal mudança visou facilitar a organização escolar; evitar os atrasos constantes dos alunos no horário matutino às 7h30min., sobretudo no inverno e melhorar a qualidade de vida das professoras.

NOSSO PATRONO

Aristeu dos Santos Ribas nasceu em 18 de Abril de 1916, na cidade de Curitiba, Estado do Paraná. Faleceu em 31 de Dezembro de 1979, na cidade de Curitiba, Estado do Paraná. Filho de José dos Santos Ribas e de Dona Ana Straube Ribas. Iniciou seus estudos no Colégio Iguaçú, tendo prosseguido nos ginásios Paranaense e Novo Mundo.


Em 1938 bacharelou-se em Ciências Jurídicas e Sociais, pela Faculdade de Direito da Universidade do Paraná. Inscreveu-se na Ordem dos Advogados do Brasil, Secção do Paraná, sob o nº 347, em 1939. Neste mesmo ano casou-se com Dona Riquilda Ribas, havendo quatro filhas do casal: Regina Maria Ribas, Ana Silvia Ribas Saccani, Vera Lucia Ribas e Angela Célia Ribas.

Exerceu também o cargo de promotor público nas comarcas de Araucária e Tibagi (1941), Ribeirão Claro (1943), Assaí (1956), Rolândia (1957) e Londrina (1961); de promotor público de entrância especial na Capital do Estado (1965). A partir de 16/09/1970 foi nomeado para o cargo de Procurador da Justiça do Paraná, cargo que exerceu até a sua morte.

Em 15 de Dezembro de 1944 foi nomeado para exercer o cargo de Delegado Regional da 13ª Região Policial, com sede em Londrina. Foi Juiz de Paz da comarca de Londrina em 1949 e vereador da Câmara Municipal de Londrina de 1949 a 1955. Exerceu atividades como advogado nas Comarcas por onde passou, notadamente em Londrina, até 1965. Foi professor Catedrático da Faculdade de Direito de Londrina, desde 1958, quando de sua fundação, havendo sido titular da cadeira de Direito Penal, do curso de Bacharel de Direito. Exerceu o magistério de professor universitário da cadeira de cosmografia, na Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras (que mais tarde vieram compor a F.U.E.L.). Por cinco anos foi professor na Escola de Polícia da Secretaria de Segurança Pública do Paraná, lecionando em vários cursos. Foi instrutor e mais tarde Diretor do Curso de Formação de Estagiárias, da Procuradoria Geral da Justiça, por mais de 10 anos. Foi membro da Sub-Comissão Geral de Investigação no Estado do Paraná, nomeado em 02/02/1972 pelo Ministro da Justiça, tendo ocupado a presidência desse órgão de 1973 a 1975, o que constitui por lei, serviço de caráter relevante e título de merecimento funcional.


Participou ,em 1973 ,da Comissão Especial que elaborou o Estatuto Penitenciário do Estado, recebendo por sua atuação, os agradecimentos e elogios do então Governador do Estado, da Assembléia Legislativa e do Sr. Secretário da Justiça. Compôs por duas vezes listas tríplices para o cargo de Desembargador do Tribunal da Justiça do Paraná e para o Tribunal de Alçada.

Contando com mais de 40 anos de Serviço Público, não consta em suas fichas de assentamentos funcionais, nenhuma censura, repreensão ou penalidade de qualquer espécie, ao contrário, constam várias menções honrosas, elogios e agradecimentos, pelo cumprimento das diversas funções que lhe foram atribuídas.

 

 

 

E.M. Arthur Thomas

Início / inauguração: 25/01/2010