Boas Práticas Escolares - Professores

Índice de Artigos

 

- Boas Práticas - Orientações

- Formulário - Boas Práticas Professores

- Autorização de uso de imagem - professores

- Autorização de uso de imagem - alunos

 

 

Tema: Trabalho interdisciplinar com a história “João e o Pé de Feijão”

 

O trabalho foi desenvolvido com 17 alunos da turma do 3º ano B da Escola Municipal Nina Gardemann. Os objetivos de aprendizagem almejados foram:

  • Ler e recontar textos literários;
  • Associar figuras geométricas espaciais à objetos do mundo físico e nomear essas figuras;
  • Resolver problemas que envolvam a composição de figuras planas com o auxílio do TANGRAN.

A professora Rosinete, regente da turma, desenvolveu uma proposta interdisciplinar envolvendo Língua Portuguesa, Matemática e Arte, a partir da contação da história “João e o Pé de Feijão”, de Marimar Borém. A primeira atividade trabalhada consistiu na confecção do castelo do gigante com os sólidos geométricos. Em seguida, utilizou-se a oficina de arte para trabalhar as figuras geométricas planas TANGRAN, simbolizando os animais da história.

Com o trabalho realizado, pode-se avaliar a fluência de leitura, interpretação oral e o reconhecimento das figuras geométricas. Para concluir essa sequência de atividades, a professora e os alunos organizaram uma exposição das produções, a qual foi prestigiada pelos pais que aproveitaram para registrar esse momento com muitos clics.

 

 

Trabalho realizado pela professora Rosinete Aparecida Rivieira da Silva
Escola Municipal Nina Gardemann

 

divisor

 

Tema: Canal da Escola Municipal Neman Sahyun

A Escola Municipal Neman Sahyun a fim de atender às necessidades dos alunos em tempos de aulas remotas, vem divulgando desde 2020, vídeos com conteúdos pedagógicos diversificados em um canal criado pela equipe gestora no YouTube. Os objetivos contemplados com esta proposta são:

  • Divulgar os trabalhos, projetos e atividades realizadas pelos professores com os alunos;
  • Divulgar o trabalho da equipe pedagógica e de toda a comunidade escolar;
  • Incentivar a participação de toda a comunidade escolar, professores e alunos nas atividades propostas durante o ano letivo.

Os temas abordados nos vídeos são sugeridos pelos professores, equipe gestora e alunos e, posteriormente, selecionados mediante a importância destes assuntos para a aprendizagem e participação de todos nas aulas remotas durante a pandemia. Assim, alguns dos temas abordados até o momento são: Festival da Diversidade, Aniversário dos 40 anos da escola, Contação de Histórias, Homenagem ao Dia das Mães, Festa Sertaneja Virtual.

Após coletar todo o material (imagens, fotos e vídeos), as professoras mediadoras de TDICs ficam responsáveis em realizar a edição e divulgar os vídeos no canal do YouTube para conhecimento de toda comunidade escolar.

No ano de 2020 a escola possuía 310 alunos, e em 2021 aproximadamente 303 alunos estão matriculados. Analisando a participação nas atividades propostas, conclui-se que 80% dos alunos participaram dos projetos no ano de 2020 e início de 2021. Além disso, foi possível constatar que os conteúdos dos vídeos e o seu formato têm tido uma excelente aceitação por parte dos pais e/ou responsáveis, bem como de toda a comunidade escolar. Até o momento o canal no YouTube possui 80 inscritos, evidenciando a relevância deste instrumento no processo de ensino-aprendizagem.

O último trabalho divulgado no canal do Youtube refere-se a Festa Sertaneja Virtual.

Links:

 

 

 

 

Trabalho realizado pelos (as) professores (as) e equipe gestora Escola Municipal Neman Sahyun

 

divisor

 

 

Tema: Aprender cantando: biossegurança na escola


A música é muito utilizada no contexto escolar como ferramenta pedagógica no processo de ensino-aprendizagem. Com esse intuito, no Centro de Educação Infantil (CEI) Pastora Samira Janene, a professora Quesia criou uma cantiga com o tema Biossegurança na Escola.

Esta proposta teve o seguinte objetivo de aprendizagem:

  • Ouvir e cantar a música, relacionada ao hábito das novas práticas de higiene e distanciamento no enfrentamento da COVID-19.

O encaminhamento metodológico consistiu, primeiro, em permitir à criança ouvir a música cantada pela professora, e depois tentar cantar, realizando os gestos para reforçar a memorização da mesma. Antes e depois de apresentar a música, a professora conversou com a turma a respeito dos protocolos de higiene e distanciamento que se enquadram no conjunto de normas de segurança sanitária e de saúde para o ambiente escolar em razão da pandemia da COVID 19. Foi explicado às crianças os motivos de os espaços do centro de educação infantil estarem isolados ou demarcados com a finalidade de estabelecer uma organização dos ambientes, respeitando o distanciamento social.

Aprender de maneira lúdica é sempre divertido e significativo, sobretudo, acerca deste tema que é de fundamental importância a todos.

Vamos aproveitar a letra da música e ensinar aos nossos alunos alguns protocolos de Biossegurança?


Letra da Música - BIOSSEGURANÇA NA ESCOLA

LIMPAR OS PÉS NO TAPETINHO PARA ENTRAR,
A TEMPERATURA TAMBÉM VOU OBSERVAR.
A MINHA MÁSCARA, EU NÃO POSSO TIRAR
SE PRECISAR, POR OUTRA EU VOU TROCAR!
USO O ANTEBRAÇO PARA TOSSIR E ESPIRRAR,
MEUS OBJETOS NÃO POSSO COMPARTILHAR.
LAVAR AS MÃOS, COM ÁGUA E SABÃO
ÁLCOOL EM GEL NA HIGIENIZAÇÃO!
DECLAMAR:
VAMOS APRENDER O NOVO JEITO DE CUIDAR?
CORONAVÍRUS, AQUI NÃO!!!

No CEI Pastora Samira Janene todas as crianças tiveram a oportunidade de aprender mais sobre os protocolos de Biossegurança a partir da letra da música elaborada pela professora Quesia. Ela enfatiza que cantando as crianças aprendem de uma forma rápida, fácil e divertida, até mesmo na idade adulta não se esquecem das canções que permearam sua infância.


Link: https://drive.google.com/file/d/1omSdDeXNJCL2eI_JwGMPFe2ls5yeM1sp/view?usp=sharing


Trabalho realizado pela professora Quesia Lins Rodrigues Said
CEI Pastora Samira Janene

 

divisor

 

Tema: 1ª GINCALINE

O trabalho foi desenvolvido pela professora Neiva de Fatima Szmoski Pereira, e atendeu os alunos matriculados no 4º ano A da Escola Municipal Pedro Vergara Correa. Teve como objetivo:

  • Aumentar e fortalecer o vínculo estabelecido entre a professora e os alunos, possibilitando melhor interação entre eles e, sobretudo, incentivar a participação dos alunos nas aulas remotas.

Pensado em motivar a participação dos alunos nas aulas remotas, foi proposta uma gincana on-line, a “GINCALINE”. Assim, durante as duas semanas que antecederam a gincana, foram enviados via WhatsApp e Mural do Google Sala de Aula vídeos atrativos com o tema da atividade, na intenção de despertar o interesse, a curiosidade e, com isso, fazer com que o engajamento dos alunos fosse satisfatório.

Para a gincana propôs-se as seguintes brincadeiras: sorteio de brindes, trava-língua, o que é, o que é? descubra o filme com emojis, 7 erros, jogo das profissões e escalada final. Todas estavam muito bem organizadas e animaram os alunos.

O resultado dessa experiência foi gratificante e superou as expectativas, pois de um total de 26 crianças, apenas 6 não participaram e a alegria foi contagiante, deixando um gostinho de “quero mais”. Houve significativo envolvimento das famílias, muitos pais relataram em diversas ocasiões que as crianças estavam mais motivadas para realizar as atividades, que ficavam ansiosas para rever e conversar com a professora e os colegas nas aulas remotas. Demonstra-se que experiências como esta são importantes, uma vez que proporciona momentos prazerosos, mantendo o entusiasmo e aumentando o vínculo entre os alunos e professores de forma divertida. Sabemos que isso é essencial, especialmente em tempos de aulas remotas, para que se concretize a aprendizagem e o desenvolvimento das crianças.

Links:


1º convite para a GINCALINE: https://drive.google.com/file/d/1T0s7h1iOZAqu_kuxH3HJv3ft-auUP_Z1/view?usp=sharing

2º convite para a GINCALINE: https://drive.google.com/file/d/1hP7rIAVw9qvk-WBv0tiDnOnBc3wE2naw/view?usp=sharing

3º convite para a GINCALINE: https://drive.google.com/file/d/1ck3J94P7yC9qxD6eu053WOSVslJGmztN/view?usp=sharing

GINCALINE: https://drive.google.com/file/d/1bJdsGrzkJyzG6kVvLmmEecKyZqDm7VjH/view?usp=sharing

 

Trabalho realizado pela professora Neiva de Fatima Szmoski Pereira
Escola Municipal Pedro Vergara Correa

 

divisor

 

Tema: É hora da história

 

No CMEI Marli Marques Agostinho, a professora Eliane Aparecida da Silva Mendes encanta e envolve as crianças no maravilhoso mundo das histórias. Atualmente, os 57 alunos matriculados participam desta aula uma vez por semana, a qual tem os seguintes objetivos:

  • Propiciar à criança um desenvolvimento emocional, social cognitivo e reflexivo;
  • Desenvolver a atenção, a imaginação, ampliar vocabulário, a percepção da sequência lógica de acontecimentos;• Compreender a si mesmo e ao outro, reconhecendo sentimentos, tais como: medo, inveja, tristeza, amor, alegria, dor, perda e auxiliar na resolução de conflitos;
  • Conhecer diversos gêneros narrativos, poemas, contos, literatura popular, lendas, fábulas, parlendas e músicas.

É notório que as interações sociais são de extrema importância em todas as fases da vida e, principalmente, na infância. Por meio delas desenvolvemos inúmeras habilidades: aprendemos a conviver com o próximo, a dividir, sermos tolerantes, compreendermos nossos sentimentos e o dos outros, nos frustramos e desenvolvemos capacidades para resolver problemas.

Com o isolamento social devido a pandemia as crianças têm sido privadas de muitas dessas experiências sociais, podendo resultar em falta de recursos para lidar com o outro e com seus próprios sentimentos.

A vista disso, foi encontrado na contação de histórias, mesmo que de forma on-line, uma oportunidade de amenizar o impacto desse distanciamento. As histórias, com suas diferentes narrativas e contextos, são capazes de aproximar as crianças de diversas realidades, oportunizando a observação de diferentes situações e pontos de vista, nas quais ela pode se posicionar, refletir, experimentar distintas emoções, compreender melhor a realidade, aprender a lidar com seus sentimentos e assim construir novos saberes.

Nesse sentido, é possível perceber o quanto as crianças e famílias apreciam estes momentos, pois enviam áudios e comentários à professora dizendo como gostam das histórias. Além disso, entende-se que os frutos deste trabalho também serão colhidos a médio e longo prazo diminuindo os efeitos do isolamento social nas crianças. E agora, que tal se encantar com a história “A fazenda do seu Joaquim”?

 

Link: https://drive.google.com/file/d/1bnVTIPXEVXKOu7ikb8wh-0IRFt8Wzl3V/view?usp=sharing

Trabalho realizado pela professora Eliane Aparecida Da Silva Mendes
CMEI Marli Marques Agostinho

 

 

 

divisor

 

Tema: Brincadeira “Criança secreta”

No CMEI Clélia Regina Guilherme de Almeida Zotelli, a professora Rosicléa Rodrigues da Silva propôs a sua turma de C1, que tem 16 alunos matriculados, uma brincadeira para encerramento do ano letivo (2020), chamada de “Criança Secreta”. O objetivo da proposta consistiu em incentivar a participação das crianças no PED e a interação remota entre elas. O procedimento metodológico compreendeu, primeiro, na explicação da proposta aos pais/responsáveis, cujo desenvolvimento é muito semelhante à clássica brincadeira de “amigo secreto”, entretanto o presente seria uma mensagem enviada por vídeo à “criança secreta”. A maioria das famílias aceitou participar da brincadeira, até mesmo aquelas que há algum tempo não estavam ativas. Posteriormente foi enviado com uma semana de antecedência o nome dos participantes para que as famílias se organizassem em relação à dinâmica.

Segundo a professora Rosicléa, o resultado dessa experiência foi gratificante e superou as expectativas. De um total de 16 crianças, apenas 1 não participou. A troca de mensagens entre as crianças expressou muito carinho e afeição. As famílias contribuíram ativamente ao mediarem todo o processo. Foi possível perceber que o objetivo da atividade proposta foi alcançado, pois mesmo remotamente, as crianças interagiram e se envolveram com entusiasmo.

Trabalho realizado pela professora Rosicléa Rodrigues da Silva
CMEI Clélia Regina Guilherme de Almeida Zotelli

 

 divisor

 

Tema: Roda de Conversa na Educação Infantil

Na Escola Municipal Francisco Pereira de Almeida Junior, a diretora Ivete Aparecida Pimentel solicitou aos professores da Educação Infantil que ao elaborarem os Planos de Estudos Dirigidos (PEDs) incluíssem a Roda de Conversa com os alunos das turmas do P4 e P5.

O objetivo desta proposta foi aumentar e fortalecer a qualidade do vínculo estabelecido entre professores e alunos, além de proporcionar o contato, mesmo que virtual, com as outras crianças, possibilitando a interação entre elas.

Para a realização da Roda de Conversa, os professores foram orientados a escolher um dia e horário na semana, para abrir uma reunião no meet, e durante aproximadamente 30 minutos, utilizam estratégias para motivar as crianças a falarem sobre como estão vivendo no isolamento social, como estão suas famílias, assim como a contar as novidades, enfim, tudo aquilo que a criança considera relevante no momento.

Após 3 semanas de realização da proposta, algumas dificuldades foram identificadas, porém, os resultados positivos sobressaíram. Os professores perceberam que a cada encontro o número de alunos participando aumentava. Vários pais que não podiam disponibilizar o celular ou computador para a criança no período em que havia a Roda de Conversa agendada, pediram para que o encontro acontecesse também em outros momentos. Desta forma, os encontros passaram a acontecer 2 ou até 3 vezes na semana, para que todos os alunos pudessem participar.

O envolvimento das famílias também surpreendeu, pois os pais relataram em diversas ocasiões que a criança estava mais motivada para realizar as atividades, ou que ela ficava ansiosa esperando rever os colegas e conversar com eles. Os próprios professores relataram que as crianças conversavam, contavam vários fatos, mostravam as atividades realizadas. Por fim, observou-se que o vínculo foi aumentando, e isso para a Educação Infantil é essencial, pois contribui para o desenvolvimento das crianças.

De acordo com a equipe gestora e professores envolvidos, foi possível notar a importância de tais momentos, onde a criança pode se expressar, falar sobre o que sente e o que vive. Esta proposta vem contribuindo muito para o engajamento das famílias no processo de socialização das crianças. E assim, a escola continuará realizando as Rodas de Conversa.

 

Trabalho realizado pela equipe gestora e professores da Educação Infantil.
Escola Municipal Francisco Pereira de Almeida Junior

 

divisor

 

Tema: A Leitura Virtual no Ensino Remoto: aprimorando a leitura no segundo ano

O trabalho apresentado está sendo desenvolvido com as turmas do 2º ano A, B, C, D, E e F da Escola Municipal Ignez Corso Andreazza, e abrange aproximadamente 150 alunos.

Começamos o ano de 2021 com os alunos do 2º ano apresentando muita insegurança nas atividades de leitura e na própria leitura em si. Durante as interações virtuais, muitas crianças afirmavam não saber ler e, com essa realidade, surgiu a necessidade de trabalhar ainda mais a leitura, incentivando os alunos a superarem suas inseguranças e praticar a fim de aprimorá-la sempre.

Assim, primeiramente foi pensado em conscientizar as famílias sobre a importância de se orientar e motivar a leitura entre as crianças e, para a primeira entrega de materiais, foi elaborado uma carta de orientações aos responsáveis, destacando a necessidade de se incentivar e acompanhar a leitura das crianças.

Juntamente com a orientação aos familiares e o material impresso de fevereiro (PED – Plano de Estudo Dirigido), foi entregue a primeira leitura orientada. Como as atividades elaboradas giravam em torno do texto literário “O aniversário do Seu Alfabeto” de Almir Piedade foi disponibilizado como leitura o convite da festa contido na narrativa literária.

Com essa escolha definiu-se que cada texto a ser enviado privilegiaria diferentes gêneros textuais, o primeiro foi um convite, o segundo, presente no PED de abril, uma letra de música infantil e, assim, cada entrega traria um gênero textual diferente para abordar a diversidade textual entre os leitores em formação.

Concomitantemente ao trabalho de leitura, a sequência didática com a história do Seu Alfabeto começou com a confecção de um boneco do Seu Alfabeto pelas professoras, com o objetivo de participar dos vídeos das aulas e até interagir com as crianças quando necessário. Também foi confeccionado um boneco para cada criança ter seu próprio Seu alfabeto, consultar as letras no alfabeto e realizar a leitura do mesmo.

A partir daí, as crianças começaram, com o incentivo dado, a enviar vídeos realizando leituras e enviar para a docente que, divulgava no grupo da turma, motivando aos colegas a se envolverem no universo da leitura. Esse trabalho será desenvolvido durante esse ano letivo e desenvolvido de acordo com o progresso do próprio trabalho e do desempenho e interesse dos alunos, protagonistas no ato de ler.

Fotos:

 bp prof ignez 1

 

Link dos vídeos:

VÍDEO 1: https://drive.google.com/file/d/1owY_US2fpaw8Y8KDQ9LmjXIAgKJbICaZ/view?usp=sharing

VÍDEO 2: https://drive.google.com/file/d/14eu8Doq0g1UQiwlwFSIM2WYIGYOH5ZvJ/view?usp=sharing

VÍDEO 3: https://drive.google.com/file/d/1SnhAIgzof3zvKTXUSBNSbvF1BoAlmyUR/view?usp=sharing

VÍDEO 4: https://drive.google.com/file/d/1TM6jMmCaj0z6qoE2yj3oJDBp1sk8Les9/view?usp=sharing

 

Trabalho realizado pelas professoras Adriana Paula dos Santos Silva e Genilce Aparecida Sotana Pereira
Escola Municipal Ignez Corso Andreazza

 

divisor


Tema: Festa Cultural

A pandemia nos impôs a necessidade de distanciamento social e, nesse sentido, as reuniões familiares e até mesmo as festas escolares tornaram-se uma lembrança de um momento de alegria e interação.

Do ponto de vista antropológico, as festas encerram um ciclo, celebram um momento, que tradicionalmente, pode ser uma colheita, um trabalho lucrativo, o passar de um ano de vida, um semestre de trabalhos escolares... enfim. A festa é o ato de celebrar; institui um momento que se encerra e promove possibilidades para outros momentos, novos projetos. Por isso, que a fase anterior a festa é de arrumação, preparação, beleza, harmonia. No segundo momento, da festa em si, aparecem a alegria, a dança, a música, a gastronomia, as brincadeiras, etc. E por último, a ordem e organização: colocar no lugar, guardar o que não será usado, limpar e recomeçar!

Percebemos que o senso de comunidade se fortaleceu mesmo em um período tão doloroso como este que estamos vivendo. É imperativo mantermos elos com a vida que segue, ou seguirá, mesmo com suas dificuldades. Sendo assim, como uma forma de diminuir esse sentimento de perda e a necessidade de reunião de pessoas, as professoras de educação física da Escola Municipal Professor Joaquim Pereira Mendes, juntamente com a equipe pedagógica, promoveram uma festa cultural virtual com o objetivo de primeiro, marcar o final de uma etapa importante de conteúdos ensinados pelo componente curricular, uma vez que foi contemplado conteúdos de danças urbanas, danças regionais, jogos e brincadeiras da cultura popular e regional, as brincadeiras cantadas e cantigas de roda, dentre outros. Além disso, o intuito também foi promover um momento de interação e diversão do aluno com sua família, trazendo à memória sentimentos de pertencimento e de esperança, aumentando o vínculo entre escola, aluno e família – tão importante para o sucesso no processo do PED.

Foi proposto então, que as famílias em suas casas organizassem uma festa cultural, nos moldes de uma “festa junina”, tão tradicional nas comunidades escolares. A participação, no entanto, era voluntária, respeitando as opções e questões religiosas e culturais de cada família. Os alunos e famílias foram convidados a organizar um local na casa para promover a festa, com decoração, música e comidas típicas. Os planos de aula deste dia contavam com as danças regionais, brincadeiras e jogos típicos desse tipo de festa.

Tivemos muitas participações e ficou nítido pelas fotos e vídeos o carinho com que prepararam esse momento. Durante o horário da aula promovemos uma ligação de vídeo, para que os amigos pudessem se ver. Eles se divertiram muito, foi muito gratificante ver o envolvimento da família e ver a alegria nos olhos dos nossos alunos.

Esta experiência foi importante para que, embora com as limitações que temos e mesmo que à distância, pudéssemos reproduzir esta importante parte da cultura escolar, manter o vínculo entre os alunos e de uma forma divertida, concluir os estudos realizados sobre o conteúdo Dança nas aulas de Educação Física, bem como de encerrar as atividades do primeiro semestre de 2020.

 

Link: https://drive.google.com/file/d/1sXNPnMx_rUVrPIqllN285fuGkC8k8GoT/view?usp=sharing

 

Trabalho realizado pelas professoras de Educação Física Andrea Scomparin, Érica Maroldi Prado,
Glauce Yara Do Nascimento Thaís Andrade Horiye)e equipe pedagógica

Escola Municipal Professor Joaquim Pereira Mendes

 

 

divisor

 


Imprimir   Email