Boas Práticas Escolares - Professores

Acessos: 20390

 

- Boas Práticas - Orientações

- Formulário - Boas Práticas Professores

- Autorização de uso de imagem - professores

- Autorização de uso de imagem - alunos

 

 

Tema: Trabalho interdisciplinar com a história “João e o Pé de Feijão”

 

O trabalho foi desenvolvido com 17 alunos da turma do 3º ano B da Escola Municipal Nina Gardemann. Os objetivos de aprendizagem almejados foram:

A professora Rosinete, regente da turma, desenvolveu uma proposta interdisciplinar envolvendo Língua Portuguesa, Matemática e Arte, a partir da contação da história “João e o Pé de Feijão”, de Marimar Borém. A primeira atividade trabalhada consistiu na confecção do castelo do gigante com os sólidos geométricos. Em seguida, utilizou-se a oficina de arte para trabalhar as figuras geométricas planas TANGRAN, simbolizando os animais da história.

Com o trabalho realizado, pode-se avaliar a fluência de leitura, interpretação oral e o reconhecimento das figuras geométricas. Para concluir essa sequência de atividades, a professora e os alunos organizaram uma exposição das produções, a qual foi prestigiada pelos pais que aproveitaram para registrar esse momento com muitos clics.

 

 

Trabalho realizado pela professora Rosinete Aparecida Rivieira da Silva
Escola Municipal Nina Gardemann

 

divisor

 

Tema: Canal da Escola Municipal Neman Sahyun

A Escola Municipal Neman Sahyun a fim de atender às necessidades dos alunos em tempos de aulas remotas, vem divulgando desde 2020, vídeos com conteúdos pedagógicos diversificados em um canal criado pela equipe gestora no YouTube. Os objetivos contemplados com esta proposta são:

Os temas abordados nos vídeos são sugeridos pelos professores, equipe gestora e alunos e, posteriormente, selecionados mediante a importância destes assuntos para a aprendizagem e participação de todos nas aulas remotas durante a pandemia. Assim, alguns dos temas abordados até o momento são: Festival da Diversidade, Aniversário dos 40 anos da escola, Contação de Histórias, Homenagem ao Dia das Mães, Festa Sertaneja Virtual.

Após coletar todo o material (imagens, fotos e vídeos), as professoras mediadoras de TDICs ficam responsáveis em realizar a edição e divulgar os vídeos no canal do YouTube para conhecimento de toda comunidade escolar.

No ano de 2020 a escola possuía 310 alunos, e em 2021 aproximadamente 303 alunos estão matriculados. Analisando a participação nas atividades propostas, conclui-se que 80% dos alunos participaram dos projetos no ano de 2020 e início de 2021. Além disso, foi possível constatar que os conteúdos dos vídeos e o seu formato têm tido uma excelente aceitação por parte dos pais e/ou responsáveis, bem como de toda a comunidade escolar. Até o momento o canal no YouTube possui 80 inscritos, evidenciando a relevância deste instrumento no processo de ensino-aprendizagem.

O último trabalho divulgado no canal do Youtube refere-se a Festa Sertaneja Virtual.

Links:

 

 

 

 

Trabalho realizado pelos (as) professores (as) e equipe gestora Escola Municipal Neman Sahyun

 

divisor

 

 

Tema: Aprender cantando: biossegurança na escola


A música é muito utilizada no contexto escolar como ferramenta pedagógica no processo de ensino-aprendizagem. Com esse intuito, no Centro de Educação Infantil (CEI) Pastora Samira Janene, a professora Quesia criou uma cantiga com o tema Biossegurança na Escola.

Esta proposta teve o seguinte objetivo de aprendizagem:

O encaminhamento metodológico consistiu, primeiro, em permitir à criança ouvir a música cantada pela professora, e depois tentar cantar, realizando os gestos para reforçar a memorização da mesma. Antes e depois de apresentar a música, a professora conversou com a turma a respeito dos protocolos de higiene e distanciamento que se enquadram no conjunto de normas de segurança sanitária e de saúde para o ambiente escolar em razão da pandemia da COVID 19. Foi explicado às crianças os motivos de os espaços do centro de educação infantil estarem isolados ou demarcados com a finalidade de estabelecer uma organização dos ambientes, respeitando o distanciamento social.

Aprender de maneira lúdica é sempre divertido e significativo, sobretudo, acerca deste tema que é de fundamental importância a todos.

Vamos aproveitar a letra da música e ensinar aos nossos alunos alguns protocolos de Biossegurança?


Letra da Música - BIOSSEGURANÇA NA ESCOLA

LIMPAR OS PÉS NO TAPETINHO PARA ENTRAR,
A TEMPERATURA TAMBÉM VOU OBSERVAR.
A MINHA MÁSCARA, EU NÃO POSSO TIRAR
SE PRECISAR, POR OUTRA EU VOU TROCAR!
USO O ANTEBRAÇO PARA TOSSIR E ESPIRRAR,
MEUS OBJETOS NÃO POSSO COMPARTILHAR.
LAVAR AS MÃOS, COM ÁGUA E SABÃO
ÁLCOOL EM GEL NA HIGIENIZAÇÃO!
DECLAMAR:
VAMOS APRENDER O NOVO JEITO DE CUIDAR?
CORONAVÍRUS, AQUI NÃO!!!

No CEI Pastora Samira Janene todas as crianças tiveram a oportunidade de aprender mais sobre os protocolos de Biossegurança a partir da letra da música elaborada pela professora Quesia. Ela enfatiza que cantando as crianças aprendem de uma forma rápida, fácil e divertida, até mesmo na idade adulta não se esquecem das canções que permearam sua infância.


Link: https://drive.google.com/file/d/1omSdDeXNJCL2eI_JwGMPFe2ls5yeM1sp/view?usp=sharing


Trabalho realizado pela professora Quesia Lins Rodrigues Said
CEI Pastora Samira Janene

 

divisor

 

Tema: 1ª GINCALINE

O trabalho foi desenvolvido pela professora Neiva de Fatima Szmoski Pereira, e atendeu os alunos matriculados no 4º ano A da Escola Municipal Pedro Vergara Correa. Teve como objetivo:

Pensado em motivar a participação dos alunos nas aulas remotas, foi proposta uma gincana on-line, a “GINCALINE”. Assim, durante as duas semanas que antecederam a gincana, foram enviados via WhatsApp e Mural do Google Sala de Aula vídeos atrativos com o tema da atividade, na intenção de despertar o interesse, a curiosidade e, com isso, fazer com que o engajamento dos alunos fosse satisfatório.

Para a gincana propôs-se as seguintes brincadeiras: sorteio de brindes, trava-língua, o que é, o que é? descubra o filme com emojis, 7 erros, jogo das profissões e escalada final. Todas estavam muito bem organizadas e animaram os alunos.

O resultado dessa experiência foi gratificante e superou as expectativas, pois de um total de 26 crianças, apenas 6 não participaram e a alegria foi contagiante, deixando um gostinho de “quero mais”. Houve significativo envolvimento das famílias, muitos pais relataram em diversas ocasiões que as crianças estavam mais motivadas para realizar as atividades, que ficavam ansiosas para rever e conversar com a professora e os colegas nas aulas remotas. Demonstra-se que experiências como esta são importantes, uma vez que proporciona momentos prazerosos, mantendo o entusiasmo e aumentando o vínculo entre os alunos e professores de forma divertida. Sabemos que isso é essencial, especialmente em tempos de aulas remotas, para que se concretize a aprendizagem e o desenvolvimento das crianças.

Links:


1º convite para a GINCALINE: https://drive.google.com/file/d/1T0s7h1iOZAqu_kuxH3HJv3ft-auUP_Z1/view?usp=sharing

2º convite para a GINCALINE: https://drive.google.com/file/d/1hP7rIAVw9qvk-WBv0tiDnOnBc3wE2naw/view?usp=sharing

3º convite para a GINCALINE: https://drive.google.com/file/d/1ck3J94P7yC9qxD6eu053WOSVslJGmztN/view?usp=sharing

GINCALINE: https://drive.google.com/file/d/1bJdsGrzkJyzG6kVvLmmEecKyZqDm7VjH/view?usp=sharing

 

Trabalho realizado pela professora Neiva de Fatima Szmoski Pereira
Escola Municipal Pedro Vergara Correa

 

divisor

 

Tema: É hora da história

 

No CMEI Marli Marques Agostinho, a professora Eliane Aparecida da Silva Mendes encanta e envolve as crianças no maravilhoso mundo das histórias. Atualmente, os 57 alunos matriculados participam desta aula uma vez por semana, a qual tem os seguintes objetivos:

É notório que as interações sociais são de extrema importância em todas as fases da vida e, principalmente, na infância. Por meio delas desenvolvemos inúmeras habilidades: aprendemos a conviver com o próximo, a dividir, sermos tolerantes, compreendermos nossos sentimentos e o dos outros, nos frustramos e desenvolvemos capacidades para resolver problemas.

Com o isolamento social devido a pandemia as crianças têm sido privadas de muitas dessas experiências sociais, podendo resultar em falta de recursos para lidar com o outro e com seus próprios sentimentos.

A vista disso, foi encontrado na contação de histórias, mesmo que de forma on-line, uma oportunidade de amenizar o impacto desse distanciamento. As histórias, com suas diferentes narrativas e contextos, são capazes de aproximar as crianças de diversas realidades, oportunizando a observação de diferentes situações e pontos de vista, nas quais ela pode se posicionar, refletir, experimentar distintas emoções, compreender melhor a realidade, aprender a lidar com seus sentimentos e assim construir novos saberes.

Nesse sentido, é possível perceber o quanto as crianças e famílias apreciam estes momentos, pois enviam áudios e comentários à professora dizendo como gostam das histórias. Além disso, entende-se que os frutos deste trabalho também serão colhidos a médio e longo prazo diminuindo os efeitos do isolamento social nas crianças. E agora, que tal se encantar com a história “A fazenda do seu Joaquim”?

 

Link: https://drive.google.com/file/d/1bnVTIPXEVXKOu7ikb8wh-0IRFt8Wzl3V/view?usp=sharing

Trabalho realizado pela professora Eliane Aparecida Da Silva Mendes
CMEI Marli Marques Agostinho

 

 

 

divisor

 

Tema: Brincadeira “Criança secreta”

No CMEI Clélia Regina Guilherme de Almeida Zotelli, a professora Rosicléa Rodrigues da Silva propôs a sua turma de C1, que tem 16 alunos matriculados, uma brincadeira para encerramento do ano letivo (2020), chamada de “Criança Secreta”. O objetivo da proposta consistiu em incentivar a participação das crianças no PED e a interação remota entre elas. O procedimento metodológico compreendeu, primeiro, na explicação da proposta aos pais/responsáveis, cujo desenvolvimento é muito semelhante à clássica brincadeira de “amigo secreto”, entretanto o presente seria uma mensagem enviada por vídeo à “criança secreta”. A maioria das famílias aceitou participar da brincadeira, até mesmo aquelas que há algum tempo não estavam ativas. Posteriormente foi enviado com uma semana de antecedência o nome dos participantes para que as famílias se organizassem em relação à dinâmica.

Segundo a professora Rosicléa, o resultado dessa experiência foi gratificante e superou as expectativas. De um total de 16 crianças, apenas 1 não participou. A troca de mensagens entre as crianças expressou muito carinho e afeição. As famílias contribuíram ativamente ao mediarem todo o processo. Foi possível perceber que o objetivo da atividade proposta foi alcançado, pois mesmo remotamente, as crianças interagiram e se envolveram com entusiasmo.

Trabalho realizado pela professora Rosicléa Rodrigues da Silva
CMEI Clélia Regina Guilherme de Almeida Zotelli

 

 divisor

 

Tema: Roda de Conversa na Educação Infantil

Na Escola Municipal Francisco Pereira de Almeida Junior, a diretora Ivete Aparecida Pimentel solicitou aos professores da Educação Infantil que ao elaborarem os Planos de Estudos Dirigidos (PEDs) incluíssem a Roda de Conversa com os alunos das turmas do P4 e P5.

O objetivo desta proposta foi aumentar e fortalecer a qualidade do vínculo estabelecido entre professores e alunos, além de proporcionar o contato, mesmo que virtual, com as outras crianças, possibilitando a interação entre elas.

Para a realização da Roda de Conversa, os professores foram orientados a escolher um dia e horário na semana, para abrir uma reunião no meet, e durante aproximadamente 30 minutos, utilizam estratégias para motivar as crianças a falarem sobre como estão vivendo no isolamento social, como estão suas famílias, assim como a contar as novidades, enfim, tudo aquilo que a criança considera relevante no momento.

Após 3 semanas de realização da proposta, algumas dificuldades foram identificadas, porém, os resultados positivos sobressaíram. Os professores perceberam que a cada encontro o número de alunos participando aumentava. Vários pais que não podiam disponibilizar o celular ou computador para a criança no período em que havia a Roda de Conversa agendada, pediram para que o encontro acontecesse também em outros momentos. Desta forma, os encontros passaram a acontecer 2 ou até 3 vezes na semana, para que todos os alunos pudessem participar.

O envolvimento das famílias também surpreendeu, pois os pais relataram em diversas ocasiões que a criança estava mais motivada para realizar as atividades, ou que ela ficava ansiosa esperando rever os colegas e conversar com eles. Os próprios professores relataram que as crianças conversavam, contavam vários fatos, mostravam as atividades realizadas. Por fim, observou-se que o vínculo foi aumentando, e isso para a Educação Infantil é essencial, pois contribui para o desenvolvimento das crianças.

De acordo com a equipe gestora e professores envolvidos, foi possível notar a importância de tais momentos, onde a criança pode se expressar, falar sobre o que sente e o que vive. Esta proposta vem contribuindo muito para o engajamento das famílias no processo de socialização das crianças. E assim, a escola continuará realizando as Rodas de Conversa.

 

Trabalho realizado pela equipe gestora e professores da Educação Infantil.
Escola Municipal Francisco Pereira de Almeida Junior

 

divisor

 

Tema: A Leitura Virtual no Ensino Remoto: aprimorando a leitura no segundo ano

O trabalho apresentado está sendo desenvolvido com as turmas do 2º ano A, B, C, D, E e F da Escola Municipal Ignez Corso Andreazza, e abrange aproximadamente 150 alunos.

Começamos o ano de 2021 com os alunos do 2º ano apresentando muita insegurança nas atividades de leitura e na própria leitura em si. Durante as interações virtuais, muitas crianças afirmavam não saber ler e, com essa realidade, surgiu a necessidade de trabalhar ainda mais a leitura, incentivando os alunos a superarem suas inseguranças e praticar a fim de aprimorá-la sempre.

Assim, primeiramente foi pensado em conscientizar as famílias sobre a importância de se orientar e motivar a leitura entre as crianças e, para a primeira entrega de materiais, foi elaborado uma carta de orientações aos responsáveis, destacando a necessidade de se incentivar e acompanhar a leitura das crianças.

Juntamente com a orientação aos familiares e o material impresso de fevereiro (PED – Plano de Estudo Dirigido), foi entregue a primeira leitura orientada. Como as atividades elaboradas giravam em torno do texto literário “O aniversário do Seu Alfabeto” de Almir Piedade foi disponibilizado como leitura o convite da festa contido na narrativa literária.

Com essa escolha definiu-se que cada texto a ser enviado privilegiaria diferentes gêneros textuais, o primeiro foi um convite, o segundo, presente no PED de abril, uma letra de música infantil e, assim, cada entrega traria um gênero textual diferente para abordar a diversidade textual entre os leitores em formação.

Concomitantemente ao trabalho de leitura, a sequência didática com a história do Seu Alfabeto começou com a confecção de um boneco do Seu Alfabeto pelas professoras, com o objetivo de participar dos vídeos das aulas e até interagir com as crianças quando necessário. Também foi confeccionado um boneco para cada criança ter seu próprio Seu alfabeto, consultar as letras no alfabeto e realizar a leitura do mesmo.

A partir daí, as crianças começaram, com o incentivo dado, a enviar vídeos realizando leituras e enviar para a docente que, divulgava no grupo da turma, motivando aos colegas a se envolverem no universo da leitura. Esse trabalho será desenvolvido durante esse ano letivo e desenvolvido de acordo com o progresso do próprio trabalho e do desempenho e interesse dos alunos, protagonistas no ato de ler.

Fotos:

 bp prof ignez 1

 

Link dos vídeos:

VÍDEO 1: https://drive.google.com/file/d/1owY_US2fpaw8Y8KDQ9LmjXIAgKJbICaZ/view?usp=sharing

VÍDEO 2: https://drive.google.com/file/d/14eu8Doq0g1UQiwlwFSIM2WYIGYOH5ZvJ/view?usp=sharing

VÍDEO 3: https://drive.google.com/file/d/1SnhAIgzof3zvKTXUSBNSbvF1BoAlmyUR/view?usp=sharing

VÍDEO 4: https://drive.google.com/file/d/1TM6jMmCaj0z6qoE2yj3oJDBp1sk8Les9/view?usp=sharing

 

Trabalho realizado pelas professoras Adriana Paula dos Santos Silva e Genilce Aparecida Sotana Pereira
Escola Municipal Ignez Corso Andreazza

 

divisor


Tema: Festa Cultural

A pandemia nos impôs a necessidade de distanciamento social e, nesse sentido, as reuniões familiares e até mesmo as festas escolares tornaram-se uma lembrança de um momento de alegria e interação.

Do ponto de vista antropológico, as festas encerram um ciclo, celebram um momento, que tradicionalmente, pode ser uma colheita, um trabalho lucrativo, o passar de um ano de vida, um semestre de trabalhos escolares... enfim. A festa é o ato de celebrar; institui um momento que se encerra e promove possibilidades para outros momentos, novos projetos. Por isso, que a fase anterior a festa é de arrumação, preparação, beleza, harmonia. No segundo momento, da festa em si, aparecem a alegria, a dança, a música, a gastronomia, as brincadeiras, etc. E por último, a ordem e organização: colocar no lugar, guardar o que não será usado, limpar e recomeçar!

Percebemos que o senso de comunidade se fortaleceu mesmo em um período tão doloroso como este que estamos vivendo. É imperativo mantermos elos com a vida que segue, ou seguirá, mesmo com suas dificuldades. Sendo assim, como uma forma de diminuir esse sentimento de perda e a necessidade de reunião de pessoas, as professoras de educação física da Escola Municipal Professor Joaquim Pereira Mendes, juntamente com a equipe pedagógica, promoveram uma festa cultural virtual com o objetivo de primeiro, marcar o final de uma etapa importante de conteúdos ensinados pelo componente curricular, uma vez que foi contemplado conteúdos de danças urbanas, danças regionais, jogos e brincadeiras da cultura popular e regional, as brincadeiras cantadas e cantigas de roda, dentre outros. Além disso, o intuito também foi promover um momento de interação e diversão do aluno com sua família, trazendo à memória sentimentos de pertencimento e de esperança, aumentando o vínculo entre escola, aluno e família – tão importante para o sucesso no processo do PED.

Foi proposto então, que as famílias em suas casas organizassem uma festa cultural, nos moldes de uma “festa junina”, tão tradicional nas comunidades escolares. A participação, no entanto, era voluntária, respeitando as opções e questões religiosas e culturais de cada família. Os alunos e famílias foram convidados a organizar um local na casa para promover a festa, com decoração, música e comidas típicas. Os planos de aula deste dia contavam com as danças regionais, brincadeiras e jogos típicos desse tipo de festa.

Tivemos muitas participações e ficou nítido pelas fotos e vídeos o carinho com que prepararam esse momento. Durante o horário da aula promovemos uma ligação de vídeo, para que os amigos pudessem se ver. Eles se divertiram muito, foi muito gratificante ver o envolvimento da família e ver a alegria nos olhos dos nossos alunos.

Esta experiência foi importante para que, embora com as limitações que temos e mesmo que à distância, pudéssemos reproduzir esta importante parte da cultura escolar, manter o vínculo entre os alunos e de uma forma divertida, concluir os estudos realizados sobre o conteúdo Dança nas aulas de Educação Física, bem como de encerrar as atividades do primeiro semestre de 2020.

 

Link: https://drive.google.com/file/d/1sXNPnMx_rUVrPIqllN285fuGkC8k8GoT/view?usp=sharing

 

Trabalho realizado pelas professoras de Educação Física Andrea Scomparin, Érica Maroldi Prado,
Glauce Yara Do Nascimento Thaís Andrade Horiye)e equipe pedagógica

Escola Municipal Professor Joaquim Pereira Mendes

 

 

divisor

 


 

divisor

 

TEMA: Brincadeiras e Jogos da Cultura Popular nas aulas de Educação Física: ludicidade, interação e aprendizagem

Na Escola Municipal Zumbi dos Palmares, a professora de educação física Poliana Rosa Riedlinger Soares trabalhou com as turmas do 1º ano C e D brincadeiras e jogos da cultura popular. A proposta teve como objetivo:

Assim, a enfâse foi dada na valorização das diferenças de cada cultura, na importância do trabalho coletivo, especialmente com o envolvimento das famílias, e na ludicidade para criar e recriar diferentes brinquedos e maneiras de jogar e brincar. Para tanto, os alunos tiveram contato com vídeos do Programa Território do brincar (disponível em: https://territoriodobrincar.com.br/o-projeto/), de modo que pudessem observar as diferenças no brincar de cada região e cultura; conversaram com os familiares sobre os brinquedos e brincadeiras que realizavam quando crianças e relembraram as brincadeiras mais comuns no bairro onde vivem. Na sequência, foi proposto a fruição de brincadeiras e confecção de brinquedos que fazem parte da cultura popular – com aproveitamento de diferentes materiais recicláveis: peteca, amarelinha, corda e pião; experimentando possibilidades de brincar e jogar. Nas duas turmas atendidas 42 alunos participaram.

Houve também significativo envolvimento das famílias que encaminharam fotos, vídeos, desenhos, bem como mensagens por aúdio via WhatsApp descrevendo com detalhes a realização da atividade. Pela observação de todo processo e material de registro, é possível destacar a importância desse conteúdo, especialmente nesse momento de pandemia, em que o estreitamento dos vínculos é de grande relevância, sendo os brinquedos e brincadeiras populares um conteúdo carregado de memórias afetivas, possibilitando que as famílias compartilhem experiências com as crianças e participem de modo mais próximo do processo de ensino e aprendizagem.

 

Imagens:

 bp prof zumbi ftv2

 

bp prof zumbi ftv2

Trabalho realizado pela professora de educação física Poliana Rosa Riedlinger Soares
Escola Municipal Zumbi dos Palmares

 

 

divisor

 

TEMA: O uso de aplicativos na produção de vídeo aulas

Pensar em formas de garantir a atenção dos alunos nesse período de pandemia e aulas remotas, têm sido um dos principais desafios por parte dos professores. Para tornar a aula mais atrativa, prazerosa e significativa faz-se necessário o uso pedagógico dos recursos tecnológicos.

Nesse sentido, a professora Célia Regina, regente da turma do 3º C da Escola Municipal Miguel Bespalhok busca continuamente aprimorar sua prática recorrendo à diferentes dispositivos tecnológicos a fim de alcançar os obejtivos que se pretende atingir. Assim, nos últimos seis meses, a professora fez uso de diferentes recursos procurando sempre o envolvimento dos alunos nas aulas remotas. Ao perceber que o recurso tecnológico já não é tão atrativo aos olhos dos alunos, ela, então, pesquisa outras formas de ensinar e de se comunicar com a sua turma.

Foi refletindo acerca desse desafio constante de se reinventar que a professora se rendeu ao uso de aplicativos via celular. A dificuldade inicial em relação ao novo dispositivo não a fez desistir, e o resultado foi surpreendente. Para a professora Célia Regina o trabalho se tornou mais fácil e prazeroso. Os alunos, por sua vez, gostaram muito, pois as aulas ficaram mais atrativas e interessantes.

A turma em questão tem 25 alunos e todos são bem atuantes, interagem com a regente e com as demais professoras, através de fotos ou por mensagens (escritas ou de áudio) via WhatsApp. Com o novo aplicativo, um estímulo a mais se fez, tornando assim este recurso um auxiliar na motivação nos estudos diários dos alunos.

 

Trabalho realizado pela professora Célia Regina da Silva
Escola Municipal Miguel Bespalhok

 

divisor

 

TEMA: Kits pedagógicos como estratégia de aproximação

 

No CMEI Helena Ometto Torres, as professoras Adriele e Viviane, regentes da turma C2, que tem 11 alunos matriculados, elaboraram “Kits pedagógicos” com o objetivo de:

Utilizando os “Kits pedagógicos” como estratégia para ampliar a participação das famílias na devolutiva dos PEDs, as crianças e seus responsáveis tiveram acesso a materiais alternativos e jogos diversos, além de um recadinho carinhoso deixado pelas professoras, o qual reforça os laços afetivos com cada aluno.

Segundo as professoras, o envio dos “kits pedagógicos” proporcionou momentos prazerosos para as crianças, sendo muito bem aceito pelas famílias, que participaram e interagiram com as professoras, enviando fotos e vídeos das crianças manipulando os materiais, realizando as experiências. Nos próximos dias, o CMEI pretende ampliar o envio de kits para outras turmas, pois nesse momento de distanciamento social, considera que é preciso manter os laços afetivos com as crianças, contribuindo no seu processo de aprendizagem e desenvolvimento.

 

Clique para ver as fotos: https://drive.google.com/drive/folders/1lzRbh2du-n6SqJc5a6xNbkKJWglmdLBF?usp=sharing

 Trabalho realizado pelas professoras Adriele Joaquim do Nascimento Caetano e Viviane Barela Justus Barroso

CMEI Helena Ometto Torres

 

 

divisor

 

 

TEMA: Brincadeiras folclóricas e atletismo

Na Escola Muncipal Anita Garibaldi, os professores de Educação Física Elaine e Elcio buscam alternativas variadas para continuar despertando o interesse dos alunos pelas aulas. Assim, o conjunto de aulas apresentadas possui os seguintes objetivos de aprendizagem:

As aulas de educação físca são intercaladas e todas as turmas tem acesso aos PEDs dos dois professores, possibilitando, com isso, que a criança realize todas as atividades propostas. A sequência de aulas contempla conteúdos diversos, tais como: salto horizontal e vertical (atletismo), brincadeiras folclóricas, esquema corporal, orientação espaço-temporal. As diferentes dinâmicas oferecidas pelos professores ressaltam a importância da educação física, colocando o corpo em movimento. A partir do vídeo, é possível perceber o envolvimento dos alunos que vêm realizando as atividades propostas com êxito e comprometimento.

 

Link: bp prof ag video3

Trabalho realizado pelos professores de Educação Física Elaine Querino dos Santos Ribeiro e Elcio Luiz Rublo
Escola Municipal Anita Garibaldi

 

 

divisor

 

TEMA: Festa do Pijama Virtual

No mês de junho a professora regente da turma P5-B da Escola Municipal Melvin Jones, Camila Lódi, planejou para os seus alunos uma Festa do Pijama Virtual. A proposta teve como objetivo integrar e contextualizar os conteúdos abordados em uma sequência didática, a qual contemplou a leitura de histórias e a função social do gênero convite. Além disso, a festa proporcionou um momento rico de interação entre todos os alunos participantes da turma.

A proposta iniciou em aulas anteriores a partir da leitura da história Viviana, a Rainha do Pijama de Steve Webb. Na sequência a professora sugeriu aos alunos uma festa do pijama virtual, e, para tanto, foi solicitado que escrevessem, com apoio da família, um convite para seus colegas convidando-os para este super evento.

A sequência de atividades foi realizada do 16 ao dia 18 de junho e a festa do pijama virtual, ocorreu como finalização de todo o processo, no período da noite.

A festa foi conduzida pela professora regente Camila Lodi com a participação da coordenadora pedagógica Grasieli, da professora R2 Aurora e da professora auxiliar Katia. Para o momento foram planejados a contação de uma história e uma gincana que estimulava os conhecimentos pedagógicos como, por exemplo, a solicitação da busca de objetos por cores, quantidade ou formas. Ao todo 13 crianças participaram da festa e todos se mostraram bastante envolvidos e animados com o momento proporcionado. Todos estavam de pijamas e participaram com muito empenho da gincana buscando os objetos pela casa. O retorno das famílias participantes foi muito positivo, solicitando mais experiências como esta.

bp melvin festa pijama

Clique para ver as fotos

Trabalho realizado pelas professoras Camila Lódi, Aurora Ferreira Mula e Kátia Greise Peres Freitas e pela coordenadora pedagógica Grasieli Coelho de Padua Santos
Escola Municipal Melvin Jones E.I. e E.F.

 

divisor

 

TEMA: Carta aos profissionais da saúde

Esta proposta teve o objetivo de trabalhar o gênero textual Carta, com quatro turmas de P5 do CMEI Antonieta Trindade. Para tanto foi sugerido que as crianças juntamente com seus familiares escrevessem uma cartinha em agradecimento ao trabalho desenvolvido pelos profissionais da área da saúde que atuam em uma Unidade Básica de Saúde próxima ao CMEI. Nesta carta elas poderiam expressar sua gratidão por meio da escrita espontânea e/ou desenhos.

O trabalho foi realizado com as turmas P5 A/B/C e D, totalizando 72 crianças. Com esta proposta as professoras conseguiram mobilizar a maioria das crianças e famílias que capricharam nas palavras e desenhos e puderam assim contribuir levando um pouco de carinho a estes profissionais que estão atuando na linha de frente no confronto diário contra a pandemia.

As cartas foram recolhidas pelo CMEI na entrega de atividades, onde uma professora ficou responsável por fazer o encaminhamento das mesmas. A UBS recebeu com muito carinho, colocando as produções das crianças em um mural da unidade de saúde.

 

bp prof cmei at v2

Trabalho realizado pelas professoras Cibele Nogueira Marques de Souza, Clevanir Ferreira dos Santos, Glaice Fernanda de Carvalho Pio Ferreira e Elaine Figueredo do CMEI Antonieta Trindade

 

 

divisor

 

TEMA: História de vida e Brinquedos

O trabalho proposto foi desenvolvido com as turmas do 2º ano A e 2º ano B, da Escola Municipal Nina Gardemann, composta por 34 alunos. O tema trabalhado foi o folclore, relacionado com os componentes curriculares de Arte e História. Os objetivos propostos foram:

A aula iniciou tratando de brinquedos do passado. Assim, a professora Jane contou sobre a boneca de palha que sua mãe tinha. Depois, foi solicitado aos alunos que questionassem os pais/responsáveis sobre os brinquedos que utilizavam para brincar quando criança e escrevessem os nomes no caderno. Os alunos também realizaram atividades do livro de Arte, as quais destacam, sobretudo, a história da boneca Abayomi. Para enriquecer ainda mais a proposta, os alunos assistiram a um vídeo sobre a história da “Boneca Abayomi”, que se encontra no canal You Tube.

O trabalho foi finalizado com o reconto de relatos ouvidos, escrita de palavras e construção de uma boneca feita de retalhos e nós. A devolutiva da família foi através de vídeos e fotos, onde as professoras conseguiram avaliar o quanto a aprendizagem foi significativa para os alunos. Alunos e familiares relacionaram a história ouvida com o momento que estamos vivendo atualmente, onde precisamos ficar em isolamento social para proteger nossa vida e de nossos familiares. Alguns alunos ficaram emocionados com a história e contaram que a confecção da boneca trouxe momentos felizes na companhia da família. Uma das alunas do 2º ano A é imigrante vinda da Venezuela e fez um depoimento muito emocionante.


Vídeo com o relato da aluna Valentina

 

bp prof ng vd5

 

Fotos da atividade: https://drive.google.com/drive/folders/1bOtkDOF50L9NjM9SS3j23UlmaebJ0Ce7?usp=sharing 


Trabalho realizado pelas professoras Daniele Dias Moreno, Rafaela Lucas Gonçalves,
Joilce Ap. Semicek Martins e Jane Cristina Lopes Fuda.

 

divisor

 

TEMA: Apreciando Poemas

 

O trabalho foi desenvolvido com a turma C2 A do CMEI Antonieta Trindade com vistas a ampliar o repertório de gêneros textuais. O objetivo da proposta foi fazer com que as crianças da turma apreciem poemas, em especial, o poema “As borboletas” de Vinicius de Moraes, o qual foi recitado pela professora Thays de Faria Pavarina.

No primeiro momento, a professora utilizou um vídeo onde sugeriu a confecção de borboletas. Nele expõe-se o passo a passo da proposta que deveria ser realizada juntamente com a família. Fazendo uso apenas de papel e prendedor de roupa, as borboletas foram criadas e, posteriormente, as crianças brincaram com a sombra delas, efeito este, causado pela lanterna ou luz solar. Elas ainda assistiram um vídeo animado relacionado a este mesmo poema (Gal Costa/ Arca de Noé - As borboletas).

Na turma do C2 A tem dezenove crianças matriculadas, seis delas participaram da experiência encaminhando fotos, vídeos e devolutiva escrita pelos pais. Analisando e observando esse material foi possível perceber o entusiasmo das mesmas ao participarem da confecção da borboleta citada no poema, bem como da brincadeira proposta. Houve o envolvimento e interesse de outros membros da família junto a criança no momento da apreciação da atividade, além de aguçá-los relembrando outros poemas. Verificou-se também a opinião da criança quanto ao poema de sua preferência e ainda a disposição, interação e criatividade da família para mediar tal momento. Percebe-se então, que por meio da ludicidade, utilizando de recursos simples, brincando, cantando e apreciando histórias é possível ampliar o repertório de gêneros textuais, conhecendo, neste caso, os poemas e seus autores.

 Trabalho realizado pela professora Thays de Faria Pavarina
CMEI Antonieta Trindade

 

divisor

 

TEMA: Contação de histórias

Na Escola Municipal Nina Gardemann, a professora Olga Fonseca frequentemente envia vídeos aos alunos com contações de histórias.

Nesta proposta, são ofertadas duas contações que levam as crianças a refletirem sobre momentos vividos no cotiadiano, são elas: “O livro do NÃO”, autoria e ilustração de Ziraldo e “Como nasceu a alegria”, autoria de Rubem Alves e ilustração Roberto Caldas. Com ambas buscou-se atingir os seguintes objetivos de aprendizagem:

A primeira história refere-se a sabedoria da palavra “não” e sua aceitação. Sabemos que é muito legal ter liberdade, poder fazer o que gosta, poder dizer aquilo que pensa. No entanto, em alguns momentos, podemos exagerar. Neste instante, alguém precisa nos alertar e dizer "não". Já a segunda nos faz refletir acerca de valores como vaidade, tristeza, alegria e como lidar com as diferenças físicas entre as crianças. Nela o autor conta que há uma flor, que é diferente das outras flores por ter uma pétala cortada, vive essa diferença, com muita dor e tristeza. No decorrer da história, a pequena flor percebe que, apesar de sua diferença, é muito querida por todos e, então, sorri, e do seu sorriso aparece um perfume que torna todo o mundo alegre como nunca havia sido. Desse modo, a partir de contações de histórias como estas, que tratam de sentimentos e emoções, a professora Olga torna o dia a dia das crianças mais saudável e feliz. Isto é percetível, pois elas sempre dão retornos positivos sobre as histórias contadas, algumas por meio de áudio, outras com desenhos, ou ainda respondendo a desafios propostos pela professora, que atende as turmas de 1º a 5º ano.

 


O livro do Não, Ziraldo

 

 

Como nasceu a alegria, Rubem Alves

 

Trabalho realizado pela professora Olga Maria da Fonseca
Escola Municipal Nina Gardemann

 

divisor

 

TEMA: O Menino Maluquinho

O trabalho foi desenvolvido com aproximadamente 28 alunos das turmas do P5A e P5B da Escola Municipal Nina Gardemann. A proposta foi elaborada pelas professoras Maria Luisa Biondi Fagá e Adriana Parente para que os alunos pudessem:

A aula remota foi iniciada por meio de uma conversa com os alunos a respeito das obras do escritor Ziraldo estudadas durante a semana.

A partir do trabalho da biografia deste autor/escritor, as crianças também trataram da sua própria biografia. Na sequência, enfatizou-se o conteúdo partes do corpo humano atrelando às obras. Dentre elas, a que mais chamou a atenção dos alunos foi a do “Menino Maluquinho”. As professoras então orientaram que os mesmos se caracterizassem do personagem, e realizassem imitações e brincadeiras tal como o menino. Em seguida, fez-se um estudo sobre as características e preferências do mesmo. Desse modo, foi partindo do repertório, da observação da obra apresentada e da criatividade dos alunos, que a proposta de atividade foi realizada com muito entusiasmo e dedicação. A devolutiva das famílias foi através de vídeos e fotos, onde as professoras conseguiram avaliar o quanto a aprendizagem foi significativa para os alunos.

Clique no nome da criança para ver a imagem ou copie e cole o link em seu navegador:


Valentina
https://drive.google.com/file/d/1fwkqqNCWSDxolz4oCeSsV4NAlLZ9EKBN/view?usp=sharing

Mia Maria
https://drive.google.com/file/d/1Jg6AeqmwT7ZVZwhldQeXsalmqrZvT1L_/view?usp=sharing 

Noah
https://drive.google.com/file/d/1LJwi8fq6d92hw3BLgm6Tp1sSms7iqBxf/view?usp=sharing 

Enzo
https://drive.google.com/file/d/1xDnYCC1gItT0IkmSLC1KuAnhqI4M5iXG/view?usp=sharing 

 

Trabalho realizado pelas professoras Adriana Ap. P. Assunção e Maria Luisa Biondi Fagá.
Escola Municipal Nina Gardemann

 

divisor

 

 

TEMA: Orientação espacial: pontos cardeais e colaterais

Pensando em ensinar de maneira lúdica, a professora Paula dos 4º anos, da Escola Municipal Nina Gardemann, recorreu a histórias e filmes de piratas para trabalhar os conteúdos orientação espacial; pontos cardeais e colaterais. O objetivo de aprendizagem almejado foi:

Utilizar as direções cardeais na localização de componentes físicos e humanos nas paisagens rurais e urbanas.

No início da proposta os alunos foram questionados se já haviam assistido à filmes e/ou desenhos sobre piratas que caçam tesouros com auxílio de mapas.

Sabemos que os mapas servem para nos situar sobre os diferentes lugares do mundo. A partir desse contexto a professora propôs aos alunos que fizessem um mapa do tesouro utilizando a rosa dos ventos, algumas paisagens naturais e modificadas existentes no Brasil e orientação sobre as direções para localizar o tesouro. Para que o mapa tivesse a aparência de “antigo” foi utilizada uma técnica com saquinho de chá, a qual foi explicada por meio de vídeo extraído da internet. A atividade foi aplicada nos 4º anos, abrangendo 38 alunos.

Por meio da devolutiva das atividades foi possível constatar que os alunos se envolveram com a proposta, realizando-a com muita dedicação e entusiasmo. Muitos alunos e pais desenharam lindas paisagens, direções diversas da caça ao tesouro, monstros, ilhas, etc. Inclusive um aluno relatou que foi a melhor atividade que ele já fez, e a mãe de outro aluno disse que se divertiu com o filho desenhando o mapa.

Clique no link para ver a imagem: 

 

https://drive.google.com/file/d/1pczKFl5uX_pUQ77tVZwOmqps2uRndUCm/view?usp=sharing 

https://drive.google.com/file/d/1ANxSxcNeGewZ8CRMgv7Tre1tmTrDvotd/view?usp=sharing 

https://docs.google.com/document/d/1BdF6dCqrfRkyZM-3hu6AEQE6TC0h_86993nU07H6quQ/edit?usp=sharing 

 

Trabalho realizado pela professora Paula de Oliveira Nassar
Escola Municipal Nina Gardemann

 

divisor

 

TEMA: Festa Junina

O trabalho foi desenvolvido com a turma do 3º ano A, que tem 27 alunos matriculados, da Escola Municipal Pedro Vergara Correa, durante os horários de estudos dirigidos. Os objetivos de aprendizagem almejados foram:

A sequência de atividades a respeito das festas juninas teve início dia 16-06-2020 e término em 29-06-2020. Ela foi desenvolvida em casa com a mediação da professora através de áudios e vídeos explicativos, bem como por meio de atividades do livro didático de Arte, caderno de estudos dirigidos e atividades práticas com a integração da família, como brincadeiras, canções juninas, receitas, decoração do arraia e dia da festança.

Essa prática teve resultados bastante positivos, pois alcançou os objetivos propostos acerca do tema estudado. Constatou-se ainda que essa ação foi muito além da aprendizagem, uma vez que oportunizou minimizar a distância física entre professora e alunos, buscando manter a afetividade com a criança que estava sendo construída antes desse momento de pandemia e ainda possibilitou fortalecer o vínculo família-escola, potencializando o trabalho colaborativo entre as mesmas.

Além disso, essa proposta objetivou incentivar outros colegas de trabalho a encontrarem um caminho para desenvolver um tipo de ação que fortaleça o envolvimento e a participação das famílias nesse momento de estudos dirigidos na forma remota.

 

bp prof pv v2
Trabalho realizado pela professora Neiva de Fatima Szmoski Pereira
Escola Municipal Pedro Vergara Correa

 

divisor

 

TEMA: Recreio Virtual

Que criança não gosta da hora do recreio? Na Escola Municipal Melvin Jones, a turma do 4º ano A, composta por 15 alunos, adaptou esta prática prazerosa e muito significativa, ao atual momento de estudos dirigidos e aulas remotas, e criou o Recreio Virtual, com o objetivo de:

Entre as atividades remotas realizadas pelos alunos durante este período de isolamento social, encontrou-se uma forma de recriar uma prática que acontecia diariamente na escola, o recreio. Com todos os alunos em casa, a turma do 4º ano A vem apostando no Recreio Virtual como um meio de promover a interação entre eles. Trata-se de um intervalo entre uma atividade e outra, onde as crianças aproveitam para gravar pequenos vídeos mostrando um pouco da sua rotina, a fim de compartilhar o que estão fazendo para além dos estudos diários. Alguns alunos apresentam seus animais de estimação, contam as histórias que estão lendo, brincam, andam de bicicleta, tocam seus instrumentos musicais, cultivam plantas, assistem seus desenhos preferidos, e muitas outras atividades que fazem parte do seu dia a dia. Este momento tem sido muito especial para os alunos, pois ao entrarem em contato com seus colegas de sala e professora, se sentem motivados a continuarem com suas atividades remotas. O Recreio Virtual contribui ainda com a socialização de práticas lúdicas que intentam diminuir o distanciamento físico entre as crianças, amenizando as saudades do contato mais próximo. Do total de alunos da turma, aproximadamente 10 estão participando com assiduidade da proposta, na forma de revezamento. A mesma não e obrigatória, assim os alunos participam por se sentirem realmente interessados. As famílias aceitam e vem desempenhando com muito empenho juntamente com as crianças as atividades do Recreio Virtual. Desse modo, pode-se constatar que a iniciativa tem se mostrado muito exitosa, uma vez que há grande evolução na participação e no processo de criação artística dos alunos envolvidos.

 

bp prof mj v2

 

bp prof mj v3

Trabalho realizado pela professora Cyntia Cristina Ruiz Lozano Oliveira e equipe gestora
Escola Municipal Melvin Jones

 

divisor

 

TEMA: Devolutiva de atividades

No CMEI Antonieta Trindade, a professora Elisângela Zielinski, regente da turma do P4 B, que tem 16 alunos matriculados, elaborou um vídeo com o objetivo de valorizar todas as produções realizadas pelas crianças e incentivar a participação e empenho das famílias no auxílio às atividades remotas.

O vídeo apresentado pela professora, expõe uma coletânea de trabalhos produzidos atenciosamente pelos alunos. O mesmo foi compartilhado no grupo de WhatsApp para que alunos e familiares reconheçam a importância das atividades remotas para o desenvolvimento das crianças nesse momento de isolamento social em virtude do novo coronavírus. Com esta prática simples e muito significativa, todos sentiram-se prestigiados e motivados a continuar realizando suas atividades com comprometimento e carinho. A média de retorno das atividades tem sido entre 60 e 75%, muitos escolhem realizá-las no final de semana, momento em que os pais tem mais disponibilidade.

 

bp prof cmei at v1

Trabalho realizado pela professora Elisângela Zielinski
CMEI Antonieta Trindade

 

 

divisor

 

TEMA: No nosso quintal tem Arte!

As brincadeiras com folhas, frutos e flores, estimulam a curiosidade infantil. A criança quer investigar e conhecer os segredos da natureza que a rodeia e fascina. Na Escola Municipal John Kennedy, a professora Luciléia trabalhou com o componente curricular de Arte a partir de elementos extraídos da natureza. A proposta foi desenvolvida com a turma do 3º ano A que tem 24 alunos, com o objetivo de:

A aula inicia com um desafio proposto pela professora: fazer colagens com folhas secas para reproduzir os animais estudados na aula de ciências. Na sequência, alguns modelos são apresentados aos alunos a fim de que lhes sirvam de inspiração. O fato de morarem na zona rural de Londrina faz com que as crianças estejam acostumadas a brincar e explorar os grandes quintais com árvores e flores. O distrito de Guaravera compõem um dos oito distritos do município de Londrina, possui uma comunidade participativa e belas paisagens.

Diante do contexto mais introspectivo que a pandemia nos impôs, o contanto com a natureza é ainda mais revigorante, deste modo, o trabalho de arte com folhas propicia o exercício da imaginação e da criatividade. Possibilita ainda que o aluno crie seus próprios brinquedos com materiais removidos da natureza, os quais podem ser explorados de diversas formas, e transformados naquilo que a criatividade da criança desejar.

No final aula, os alunos enviaram fotos das suas produções, cuja qualidade artística surpreendeu, pois apresentaram obras com um excelente senso estético. O fato de vivenciarem uma aula em contato com a natureza e expressarem os seus sentimentos através da arte, fez com que as crianças desenvolvessem suas habilidades artísticas de maneira lúdica, e a exposição das fotos no grupo de WhatsApp oportunizou uma incrível interação.


Trabalho realizado pela professora Luciléia Osete Basso
Escola Municipal John Kennedy

 

 

divisor

 

 

 

 

 

Professora Mayara Cristina Morais Villas Boas
E.M José Gasparini - Anexo Educação Infantil

"Como professora auxiliar decidi contribuir com minhas colegas de trabalho, realizando pesquisas, criei uma biblioteca virtual, com livros de literatura infantil em pdf, para auxiliar no trabalho pedagógico com as famílias da educação, e também faço algumas narrações."

Biblioteca Virtual disponível em https://drive.google.com/folderview?id=108iT3T0rzerQTmvKdWNcx3o4xrhZ59Gv

Histórias infantis narradas disponível em https://www.youtube.com/channel/UC3x1Bvfinyod-7-0FRe236A 

 

divisor

 

 

TEMA: Releitura da Arte de Alfredo Volpi

 

Na escola Municipal Francisco Aquino Toledo, a professora Fabíola Tatiane Gomes Nunes ofereceu aos seus 25 alunos matriculados no 3º ano, duas propostas de aulas remotas relacionadas às festas populares, as quais foram trabalhadas a partir dos componentes curriculares de Arte e Matemática. Os objetivos de aprendizagem pretendidos foram:

As festas populares oferecem sempre oportunidades para fortalecer o contato, ainda que remoto, da escola com as famílias e comunidade escolar. Dessa maneira, com a finalidade de alegrar e estimular nos alunos novas formas de interpretação da arte, foi apresentado, primeiramente, uma opção de decoração de festa junina inspirada nas obras de Alfredo Volpi (1896 - 1988). Os alunos estudaram um pouco sobre a vida e a obra do artista e, posteriormente, prepararam releituras com base nas famosas bandeirinhas, que é uma das marcas do pintor e, também, na obra “Grande fachada festiva”.

Durante a aula todos demostraram muita dedicação, capricho e entusiasmo, superando, desse modo, as expectativas da professora. Na segunda aula, após assistirem ao vídeo com as orientações, os alunos confeccionaram um espantalho junino, utilizando materiais diversos disponibilizados pela professora. Neste vídeo a professora Fabíola se apresenta caracterizada de espantalha ao som da música “O Espantalho” do cantor e compositor Fagner. A participação dos alunos ocorreu por meio dos vídeos e fotos enviados pelas famílias, demonstrando assim o envolvimento nas atividades propostas. Nesse sentido, foi possível avaliar que a integração entre os componentes curriculares atingiu de forma exitosa os objetivos da aula.

Aula 1

bp prof fat v7

 

Aula 2

bp prof fat v8
Trabalho realizado pela professora Fabíola Tatiane Gomes Nunes
Escola Municipal Francisco Aquino Toledo

 

 

divisor

 

 

 

 

TEMA: O trabalho colaborativo e o PED acessível 

Na Escola Municipal Professor Moacyr Teixeira, o trabalho colaborativo entre a professora do 1º ano A e a professora do atendimento educacional especializado, vem sendo realizado de forma bem sucedida. A aula remota exibida aqui é resultado dessa integração que visou atender toda a turma, bem como um aluno que apresenta necessidades educacionais especiais (NEE). Os objetivos de aprendizagem intencionados foram:


Na turma há 24 alunos matriculados, destes, um necessita de adaptação de suas atividades, pois apresenta Transtorno do Espectro Autista (TEA), com comprometimento da linguagem, socialização e coordenação motora. As professoras sempre objetivam oferecer a ele os mesmos conteúdos do restante da turma, com propostas que vão ao encontro dos seus avanços pedagógicos. Para tanto, durante a elaboração dos planejamentos acontece o trabalho colaborativo entre a professora da sala de recursos e a professora regente, para que juntas encontrem estratégias de ensino adequadas as NEEs do aluno.

Além disso, há um grupo de WhatsApp específico para atendê-lo, com a finalidade de realizar mediações pontuais e comunicação direta com a família, entretanto, o aluno também participa do grupo da turma. A mãe deste aluno relatou sua satisfação em observar que o filho faz atividades com os mesmos conteúdos que os demais, com as devidas adaptações para que alcance os objetivos de aprendizagem. Nesta proposta, por exemplo, há dois vídeos: o primeiro é direcionado para toda a turma; o segundo é uma aula acessível direcionada ao aluno que apresenta TEA. Em ambos a professora conta uma história intitulada “As casas da unidade e dezena” que trata de composição numérica, assim como oferece várias imagens e exercícios acerca do conteúdo. Este modelo de flexibilização das atividades demonstra ser possível trabalhar, ainda que remotamente, de forma acessível. Vê-se que o trabalho colaborativo entre as professoras tem sido de fundamental importância nesse momento e resulta em avanços no processo educativo. A participação da família é também essencial no auxílio e feedback das atividades realizadas.

Vídeo da aula

 

 

Vídeo da aula acessível


Trabalho realizado pelas professoras Sueli Marciano de Oliveira (regente) e Natalia Barbosa Verissimo (professora do atendimento educacional especializado)
Escola Municipal Professor Moacyr Teixeira

 

divisor

 

 

 

TEMA: A Lua e suas fases

Nesta aula remota, a professora Ane, apoio das turmas 5º ano A e B, na Escola Municipal Professor Joaquim Pereira Mendes, abordou aspectos que fazem parte do trabalho com o componente curricular de Ciências. Trata-se da periodicidade das fases da Lua. Nesse sentido, a aula intencionou o seguinte objetivo de aprendizagem:

O vídeo apresentado à turma aborda noções de astronomia com ênfase em um dos elementos do espaço, a Lua. Nele é explicado sobre algumas características e influências desse satélite natural da Terra. Dentre os assuntos apresentados, destaca-se as suas quatro fases: crescente, cheia, minguante e nova; as quais se referem à sua face iluminada devido a sua variação de posição em relação à Terra e ao Sol. O vídeo proporciona aos alunos uma linguagem simples, acessível e muito didática, de modo a aprofundar os conhecimentos prévios dos mesmos em relação ao conteúdo abordado.

Cerca de 50 crianças foram alcançadas pela aula remota, havendo significativa interação de todos. As crianças se encantaram com a ludicidade da aula, que mostra imagens de qualidade de cada fase da Lua. Muitos pais também retornaram, dizendo que até eles puderam aprender curiosidades sobre a Lua que lhes eram desconhecidas. Em síntese, com as devolutivas foi possível constatar que a proposta apresentada através do vídeo promoveu de forma prazerosa aprendizagens com maiores sentidos aos alunos.


 

Trabalho realizado pela professora Ane Caroline Silva Romano
Escola Municipal Professor Joaquim Pereira Mendes

 

 

divisor

 

 

 

 

TEMA: O arraiá da alegria!

O trabalho proposto foi desenvolvido com 19 alunos matriculados na turma do 4º ano A, da Escola Municipal Francisco Aquino Toledo e tratou do tema festas populares. O mesmo foi desenvolvido pela professora Solange de Souza Sabiá e teve os seguintes objetivos:

Vai começar o arraiá da alegria! A Escola Municipal Francisco Aquino Toledo está em clima de festa, pois o mês de junho traz consigo os festejos juninos que exaltam as comidas típicas, a simplicidade do povo do campo e as danças que lembram nossa tradição rural. As festas juninas são tradicionais nas escolas da cidade, contudo, em virtude do atual contexto de pandemia, as comemorações não vão acontecer da forma como estamos acostumados. Assim, a professora Solange resolveu levar um pouco dessa festa bonita e animada à turma do 4º ano A. Aliando diversão e aprendizagem, foi apresentado aos alunos um vídeo onde a professora explica a origem dessa festa popular. A temática, no entanto, foi além da contextualização sobre sua origem e características. Em um segundo momento, articulou-se os componentes curriculares de História, Língua Portuguesa e Arte, de modo que os alunos realizaram leituras sobre o tema, além de atividades diversas e, por fim, a confecção de um enfeite junino para decorar a casa. O resultado da proposta foi muito positivo, já que contou com a participação de toda turma, que enviou fotos das suas criações. Tal iniciativa propiciou ainda momentos em que os alunos e seus familiares pudessem, juntos, aproveitar o festejo. 

Vídeo 1:

bp prof fat v5
Vídeo 2:

bp prof fat v6Trabalho realizado pela Solange de Souza Sabiá
Escola Municipal Francisco Aquino Toledo

 

 

divisor

 

 

 

 

TEMA: O sapo e a flor: uma história sobre amizade

O trablaho foi desenvolvido com a turma do P5 A, da Escola Municipal John Kennedy. Foi apresentado às crianças a história “ O sapo e a flor: uma história sobre amizade”, com o objetivo de:

Identificar e cultivar valores presentes na relações de amizade: respeito, solidariedade e amor.

No primeiro momento da aula, após os cumprimentos da professora à turma, foi lançado no grupo de WhatsApp o seguinte questionamento “O que é um amigo de verdade?”. A partir daí, cada aluno mandou um áudio expondo suas ideias e sentimentos, numa interação significativa e produtiva. Em seguida a professora enviou um vídeo com a história de um sapo que vivia num jardim ao lado de uma bela flor. Ela, porém, não gostava dessa proximidade, pois considerava o sapo muito desajeitado, mesmo assim o sapo foi fiel a sua amizade e salvou a flor de ser devorada por um gafanhoto. Com isso, a flor aprendeu o verdadeiro valor e a beleza da amizade e, desse modo, foram felizes amigos para sempre. Para finalizar a proposta, e em homenagem a coragem e fidelidade do sapo, os alunos fizeram uma ilustração do personagem utilizando como base um círculo dobrado ao meio, colorido de verde.

Houve significativa participação da turma, dos 18 alunos 17 mandaram registros de imagens com a atividade concluída, além da participação via áudio durante a aula e mensagens digitadas pelos pais. A interação foi grande devido ao tema ser muito significativo nesse momento de saudade. A amizade do grupo de professores, alunos e pais, tem sido essencial no enfrentamento aos desafios impostos pelo distanciamento social, devido a pandemia. A troca de mensagens e comunicação virtual tem ajudado a desenvolver propostas coerentes ao atual momento, além de fortalecer nossos vínculos de amizades tão necessários e valiosos.

Link do vídeo:

Foto: https://docs.google.com/document/d/1bh1bYW2TbAi-V1apiQC_Lsc30hWqakJ7gQka-Dhy9sg/edit?usp=sharing

Trabalho realizado pela professora Emile Kelly Coelho
Escola Municipal John Kennedy

 

divisor

 

 

TEMA: A música caipira e as festas populares

Na Escola Municipal Francisco Aquino Toledo, a professora Magda Souza Carvalho Dutra, regente da turma do 5º ano, promoveu o encontro da turma com a música caipira. Tal proposta está vinculada ao componente curricular de Arte e teve como objetivos de aprendizagem:

Inicialmente os alunos tiveram que criar uma arte voltada para as festas populares. Para isso, foram desafiados a aplicar toda a sua criatividade utilizando técnicas e materiais diversos. O encaminhamento metodológico foi realizado por meio de um vídeo enviado pela professora, onde orienta os alunos sobre as etapas de elaboração da atividade. A proposta foi recebida prontamente pelos mesmos que a realizaram com muito carinho e respeito, assim como é de costume. As fotos das atividades concluídas foram organizadas pela professora a fim de compor um vídeo com todas as produções artísticas. O vídeo contou com uma música ao fundo, que teve a participação da família da professora; desse modo, enquanto seu marido Mário Antonio tocava violão, sua filha Gabriela, aluna do 3º ano, abrilhantava a canção com a sua voz.

Dando continuidade à aula, foi trabalhado a música caipira Luar do Sertão, de Luiz Gonzaga. Esta música fez-se presente também na voz da professora Magda ao introduzir o assunto da aula. Na sequência, os alunos realizaram atividades do livro de Arte também relacionadas a música. Para complementar o assunto e enriquecer ainda mais a aula, todos foram convidados a assistir um trecho do filme Jeca Tatu (1959) que retrata a vida de um homem caipira, simples que vive em um sítio, com sua mulher e filhos. A partir daí os alunos produziram um texto, expondo suas opiniões sobre as características e o modo de vida do personagem principal.

Houve total participação dos alunos nas atividades propostas. Para além disso, foi com grande satisfação que a professora contou com o apoio e envolvimento da família nas atividades remotas.

 

bp prof fat v3

 

bp prof fat v4

 

Trabalho realizado pela professora Magda Souza Carvalho Dutra
Escola Municipal Francisco Aquino Toledo

 

 

divisor

 

 

TEMA: Arte a partir do fenômeno natural chuva

As professoras Sara e Neusa, regentes das turmas 2º ano A e 2º ano B, com 23 e 21 alunos, respectivamente, da Escola Municipal Reverendo Odilon Gonçalves Nocetti, elaboraram uma sequência de atividades atreladas ao componente curricular de Arte, para que os alunos pudessem:

A arte tem muitas formas de manifestação, não é mesmo? Artes visuais, música, dança, teatro e artes integradas. Assim, nesta proposta de trabalho, as professoras proporcionaram aos alunos a análise de criações artísticas de atores dançarinos, observação e contextualização dos fenômenos da natureza nas performances artísticas, o conhecimento e experimentação de formas de produção artística a partir do próprio corpo, bem como a recriação de encenações de movimento de dança, voz e sons e criação de um personagem. Para iniciar a proposta, as professoras partiram de um fenômeno da natureza, a chuva! A chuva é um dos mais belos fenômenos da natureza que inspira muitos artistas a realizarem suas obras de arte. Diante do exposto, sugeriu-se que os alunos assistissem o vídeo “Chuva chove”, do Mundo Bita. Além de imagens de algumas obras de arte que têm como tema a chuva. O conteúdo proposto foi também atrelado ao componente curricular de Ciências, pois tratou-se de demonstrar que a chuva é um fenômeno muito importante para a vida e o meio ambiente. A partir de discussões sobre o tema, foi solicitado aos alunos que criassem um desenho representando a chuva. Relativamente à música: os alunos ouviram primeiro o som da chuva sem imagem, para que pudessem identificar o som; depois, o som junto com a imagem e o vídeo de um coral reproduzindo o som da chuva/tempestade com as mãos e os pés. O desafio era que os alunos produzissem o som da chuva a partir dos materiais que possuiam em casa. O resultado foi admirável em ambas as propostas, muitas obras primas! Os alunos também estudaram sobre a dança e teatro e, dessa aula, surgiram lindos vídeos com representações diferenciadas, algumas traçando relações com as festas juninas, manifestação cultural da época do ano.Quanto as artes interligadas, que são as manifestações artísticas que englobam música, dança e a representação de personagens em filmes, novelas, séries, desenhos animados, em que a atuação de atores e atrizes se dá pela atuação da fala, os alunos inicialmente assistiram e analisaram vídeos que explicam como as animações e filmes são feitos e quais os possíveis recursos tecnológicos utilizados para tal. Na sequência, foi sugerido um vídeo curto de um clássico do cinema: “Dançando na chuva”, de 1952 e os alunos foram desafiados a fazer um vídeo da releitura deste clássico, utilizando a imaginação e muita criatividade. Finalizando, interligou-se Arte e Meio ambiente, tendo a chuva como tema para a preservação da água, culminando com lindos desenhos. Cada aluno foi contemplado com um boton conferindo-lhe o título de “Protetores do Meio Ambiente”. O resultado dessa quina de aulas foi muito empolgante e significativo.

Fotos: https://docs.google.com/document/d/1lCpknT06K8hpfW5i_NY5ixzw_67iljY5Az5vKnFHmEM/edit?usp=sharing

Vídeos:

bp prof revodi v

Trabalho realizado pelas professoras Sara Silva e Neusa Civalsci Cubaski
Escola Municipal Reverendo Odilon Gonçalves Nocetti

 

 

divisor

 

 

 

TEMA: Festança no campo!

O trabalho apresentado foi desenvolvido em três unidades escolares, a saber: CMEI Vanderlaine Aparecida Rodrigues Ribeiro, CMEI Irmã Maria Nívea e Escola Municipal Professor Moacyr Teixeira. A realização da proposta pelas professoras Amanda e Claúdia Rafaelli, que trabalham nas unidades mencionadas, teve a intenção de:

Tendo em vista a época de festividades juninas, as professoras apresentaram a contação de história “Arraiá na floresta vem cá”, de Gelça Alencar. A partir dessa história foi possível relacionar as festas juninas à cultura do campo, bem como ao calendário das escolas que contemplava a festividade para a comunidade escolar e a necessidade de se trabalhar as diversas manifestações culturais. Assim, a história contada e encenada pelas professoras Amanda e Claúdia Rafaelli foi trabalhada em todas as turmas da Educação Infantil e Ensino Fundamental das unidades citadas, abrangendo com isso cerca de 1300 alunos. Ao ser compartilhada com as diversas turmas, cada professora teve a possibilidade de adaptar as atividades pertinentes a história de acordo com as necessidades dos seus alunos.
Foi um momento muito prazeroso e interativo entre quem contou e quem ouviu esta narrativa. Além de ter possibilitado às crianças novas descobertas sobre as vivências do homem do campo. Para as professoras, o contato com a contação de histórias permite que a criança explore em seu imaginário a ação dos personagens, colaborando, desse modo, com o seu desenvolvimento.

 

bp prof cmei mn v1
Trabalho realizado pelas professoras Amanda Oech e Cláudia Rafaelli Burakovski
CMEI Vanderlaine Aparecida Rodrigues Ribeiro; CMEI Irmã Maria Nívea e Escola Municipal Professor Moacyr Teixeira

 

divisor

 

  

TEMA: Festa Junina em Tempos de Pandemia

Na Escola Municipal John Kennedy, a professora Adriana, que ministra aulas de Educação Física, realizou um “Desafio Junino” com as turmas que trabalha: P5 ao 5ª ano. Através desta atividade, a professora pode oportunizar para as 12 turmas atendidas, a compreensão dos seguintes objetivos de aprendizagem:

Tradicionalmente celebra-se no mês de junho as festas juninas, elas são consideradas a segunda maior festa do país, ficando atrás apenas do carnaval.

Atualmente há uma grande valorização das festas juninas também dentro das escolas. Tais festejos enfatizam diferentes culturas, rememorando trajetórias históricas de cada região do Brasil. As festas juninas também fazem parte do nosso folclore, possibilitando compreender mais sobre a memória cultural e social, podendo também ser utilizada como elemento pedagógico. Neste ano de 2020 essas festas não vão acontecer da forma como todos estão acostumados, devido a COVID-19. Você ficou triste com essa notícia? É, todos ficam. Mas, tudo bem! A Escola Municipal John Kennedy arrumou um jeitinho todo especial dos alunos e familiares curtirem essa festa. Dentro dos grupos de WhatsApp, a professora Adriana propôs às famílias que se caracterizassem com trajes de festas juninas e pesquisassem uma música típica para esta época, diante disso teriam que gravar um vídeo da família cantando e se divertindo em suas casas. A ideia do trabalho surgiu da necessidade de manter viva a tradição das festas juninas, mesmo que de forma virtual e restrita.

O desafio foi proposto à todas as turmas com as quais a professora trabalha (do P5 ao 5ª ano), sendo muito bem aceito pelos familiares. A princípio foram enviadas mais de 100 fotos de 55 famílias da comunidade, além dos vídeos com os “shows” realizados, todos eles com as famílias devidamente caracterizadas com os trajes típicos das festas juninas e curtindo um momento de descontração em meio as dificuldades do período de pandemia.

Link do vídeo:

bp prof jk v1

Fotos: https://drive.google.com/file/d/1E9rd8YBGNWWP1yoF9e-l114wEqvqMEj2/view?usp=sharing

 
Trabalho realizado pela professora Adriana Aparecida da Silva
Escola Municipal John Kennedy

 

divisor

 

 

 

 

TEMA: Célula como unidade da vida

Este trabalho foi desenvolvido pela professora Eunice, com a turma do 5º ano A, composta por 25 alunos, da Escola Municipal Joaquim Pereira Mendes. O objetivo da proposta foi:

Nosso corpo inteiro é formado por células, são milhões delas que exercem funções diferentes para o bom funcionamento do corpo humano e demais seres vivos. As células são a menor parte de qualquer organismo e possuem uma organização básica. Partindo do objetivo proposto, os alunos assistiram dois vídeos que trataram de explicar e ilustrar os tipos de células e quais as suas funções. Posteriormente aos vídeos, a aula remota continuou com esclarecimentos da professora acerca do assunto. Para facilitar a compreensão a respeito das partes básicas de uma célula, a mesma foi comparada a um ovo, a partir da seguinte associação: casca/membrana plasmática, clara/citoplasma e a gema/núcleo. A leitura do material proposto no Plano de Estudos Dirigidos, bem como a visualização das imagens, vídeos e experiência, favoreceu o entendimento de que os seres vivos possuem uma estrutura complexa e muito interessante.

A aula proposta demonstrou que o componente curricular de Ciências, quando bem trabalhado por meio da investigação, ajuda os alunos a encontrar respostas para muitas questões e faz com que eles estejam em permanente exercício de raciocínio.

bp prof jpm v1

Fotos: https://docs.google.com/document/d/1oSXQZK-wul7YvMpMAiFxr58CmGmYndwzO2iDmtzlU1Q/edit?usp=sharing

Trabalho realizado pela professora Eunice Pailo de Mello Lourenço
Escola Municipal Professor Joaquim Pereira Mendes

 

 

divisor 

 

TEMA: Os sons da natureza e os sons produzidos pelos seres humanos

Na Escola Municipal Nina Gardemann, as professoras Leandra e Andressa, realizaram uma proposta de aula remota com os sons da natureza e os sons produzidos pelos seres humanos. A turma do 3º ano A, composta por 25 alunos, pode através dessa proposta compreender os seguintes objetivos de aprendizagem:

A abordagem do conteúdo sobre os sons tratou antes de explicar a respeito de um sentido muito importante para os seres humanos, a audição. Para saber como funciona o nosso sistema auditivo foi indicado a leitura em família da matéria que se encontra em meio eletrônico: Ciência Hoje das Crianças – Abaixe o som! Na sequência da aula os alunos também realizaram a leitura e exercícios do livro didático de Ciências, além de cantarem a música “Bolinha de sabão” do Palavra Cantada, para explorarem os sons produzidos pela boca.

Todo o conteúdo foi muito apreciado pelos alunos da turma, em especial, pela aluna Aline, que tem autismo e demonstra ter aptidão musical.

O vídeo enviado pela família da Aline às professoras mostra muito bem todo o seu talento e empenho na hora de fazer a atividade. Vê-se ainda a satisfação da família em contribuir com um momento prazeroso de aprendizagem, no qual a filha apresenta grande interesse e facilidade em realizar o proposto. Em conversa com o pai, ele relatou que Aline gosta de atividades musicais. Assim, com a ajuda do irmão, Aline colocou água em copos e com uma colher produziu sons. Aline utilizou apenas objetos domésticos e soube produzir sons semelhantes ao de um piano. Para as professoras, por meio de atividades como esta, é possível despertar o interesse da querida aluna, e assim colaborar com sua evolução, a cada dia, numa relação de confiança entre escola e família.

 

bp prof ng v5

Trabalho realizado pelas professoras Leandra Pavanetti e Andressa Marchi
Escola Municipal Nina Gardemann

 

 

divisor

 

 

TEMA: Festas populares

 

Há milhares de anos, as festas e as maneiras diferentes de celebrar acontecem. Em formatos diferentes e por motivos diferentes, o ser humano comemora há muito tempo. Você já comemorou algo na sua vida com uma festa? Estamos no período das Festas Juninas que são tipos de festas populares, ou seja, comemorações de pessoas. Na Escola Municipal Maria Carmelita Vilela Magalhães, a professora Bruna Ester trabalhou o tema “festas populares” com as turmas do 4º ano A e B, e teve como objetivos de aprendizagem:

Depois de assistir o vídeo da aula e ler um pequeno texto com informações sobre o tema, os 56 alunos foram orientados a fazer em seu álbum de quarentena a representação individual de uma festa popular como as que viram no vídeo. O registro foi feito por meio de desenho, colagem, pintura e outras técnicas escolhidas pelas crianças. Para realizar o solicitado, a professora montou para cada aluno um álbum, o qual foi decorado por eles mesmos com figurinhas e papeis variados. Nesta aula, os alunos fizeram apenas a capa e a primeira página sobre as festas populares. Por meio deste trabalho os alunos compreenderam o significado de festas populares, as suas características, conheceram as festas populares do nosso país, bem como tiveram acesso ao histórico das festas de junho da Escola Maria Carmelita através de fotografias do arquivo escolar.

 

 Fotoshttps://docs.google.com/document/d/1znxQiyuva_qKNyfOZX7pX4HVwW40tbhtJs1u_nxRTck/edit?usp=sharing

 Trabalho realizado pela professora Bruna Ester Gomes Yamashita
Escola Municipal Maria Carmelita Vilela Magalhães

 

divisor

 

 

 

 

TEMA: Produzindo notícias e entrevistas

Sabemos que a história é escrita de acordo com os acontecimentos vividos. Desse modo, o jornal é um dos meios para esta comunicação, sendo uma fonte histórica. Nele é possível ver muitos textos, histórias de pessoas de outros tempos, outros lugares e de povos muito diferentes. Diante disso, na Escola Municipal Maria Carmelita Vilela Magalhães, a professora Bruna Esther propôs aos 58 alunos do 4º ano A e B, os seguintes objetivos de aprendizagem:

A abordagem proposta partiu da exibição do vídeo da aula, no qual apresentou-se diferentes tipos textuais presentes em um jornal, inclusive o de uma notícia de 17/03/2020, que tratou de divulgar a suspensão das aulas presenciais em virtude do coronavírus. Tendo como base esta notícia, os alunos foram orientados a realizar as primeiras atividades do dia. O vídeo contem ainda orientações sobre as etapas de realização dessas atividades, tais como: colocar a data do dia e o título da aula no caderno, prosseguir fazendo as atividades recortando e colando do modo como o aluno preferir, bem como responder o formulário de atividade interativa encaminhado no grupo de WhatsApp. Na sequência, outros vídeos são apresentados com relatos de experiências de dois artistas londrinenses, que contam a sua trajetória na arte e como estão vivendo agora sem o público que está dentro de suas casas em razão do isolamento social. Como parte integrante das atividades, os alunos foram estimulados a serem jornalistas. Todos formularam perguntas aos artistas, a fim de produzirem uma notícia única. A mesma foi enviada para ser publicada em um jornal da cidade.

Vídeo da Aula

 

VÍDEO da artista Camila Feoli (teatro)



VÍDEO do músico Antônio Teixeira dos Santos (música)




Link da notícia criada pelos alunos: https://drive.google.com/file/d/1I3DOspdo68jcYqXYRiHqnDo7jRqLvzn_/view?usp=sharing

Trabalho realizado pela professora Bruna Esther Gomes Yamashita
Escola Municipal Maria Carmelita Vilela Magalhães

 

 

divisor

 

 

 

 

 

TEMA: Exposição Artística Remota

A proposta de trabalho foi desenvolvida com 30 alunos do 4º ano da Escola Municipal Dalva Fahl Boaventura. A mesma foi elaborada pela professora Leiliane Bontorin de Oliveira para que os alunos pudessem atingir os seguintes objetivos de aprendizagem:

A ideia do trabalho proposto ocorreu a partir da busca pela valorização das atividades realizadas pelos alunos remotamente, em especial, no componente curricular de Arte. A professora então recorreu a produção de vídeos como forma de expor e divulgar os trabalhos artísticos dos alunos, para que os mesmos sejam apreciados em suas produções. Os vídeos apresentam a compilação das aulas onde cada aluno expõe sua composição artística por meio de diversos recursos, como: colagem, pintura, fotos, escultura, criação de quadrinhos e outdoor. A divulgação da produção artística dos alunos vem acontecendo via grupo de WhatsApp, para que todas as famílias possam acompanhar, reconhecer e admirar a criação de todos, assim como uma exposição artística e cultural.

As famílias dão feedbacks positivos sobre a prática sugerida pela professora, pois os alunos ao sentirem-se prestigiados querem participar ativamente divulgando suas produções. A professora também motiva o envio das produções ao final de cada aula, ou em horários e dias alternativos, combinados previamente.

 

Vídeo das fotografias tiradas pelos alunos em ângulos diversos

bp prof dfb v1

 

Vídeo das produções artísticas dos alunos

bp prof dfb v2


Trabalho realizado pela Professora Leiliane Bontorin de Oliveira
Escola Municipal Dalva Fahl Boaventura

 

 

divisor

 

 

 

TEMA: Seres vivos e as medidas de tempo

Quanto tempo leva para uma planta germinar? E para um pintinho sair do ovo? Quanto tempo demora um ser humano para nascer? Todas essas perguntas foram feitas pela professora Célia aos 25 alunos matriculados na turma do 3º ano C, da Escola Municipal Miguel Bespalhok. Buscando tratar dos conteúdos seres vivos e medidas de tempo, a professora articulou os Componentes Curriculares Ciências e Matemática, a fim de atingir os seguintes objetivos de aprendizagem:

Após problematizar os conteúdos por meio das questões mencionadas, a professora segue a proposta sugerindo um vídeo produzido pelo Apoio pedagógico de Matemática da Secretaria Municipal de Educação, intitulado “A vida, o tempo e suas relações” (vídeo na abaixo).

Na sequência, orienta as famílias e alunos quanto as atividades do dia, assim como a forma do registro no caderno. O vídeo criado pela professora Célia traz elementos importantes sobre as etapas de realização das atividades, ensinando o passo a passo que o aluno deverá seguir durante os estudos, bem como apresenta a ligação entre os conteúdos seres vivos, o qual já estava sendo trabalhado, às atividades e conteúdos de matemática - raciocínio lógico e medidas de tempo.

Houve significativa participação da turma que enviou fotos e mensagens (escritas ou de áudio) via WhatsApp demonstrando o envolvimento na realização das atividades. Para a professora, as devolutivas foram muito positivas, pois os alunos gostaram, sobretudo, de utilizar o calendário para responder a atividade final.
As famílias também relataram que o formato do vídeo postado no Youtube é mais acessível, uma vez que as crianças podem assistir a aula até mesmo pela televisão. Sem contar que se tornou mais atrativo devido às ilustrações utilizadas.


Trabalho desenvolvido pela professora Célia Regina da Silva
Escola Municipal Miguel Bespalhok

 

divisor

 

 

TEMA: Juju agora é professora


Este trabalho foi realizado na Escola Municipal Francisco Aquino Toledo com os alunos do 1o ao 5o ano pela Regente do Projeto Palavras Andantes Joyce Priscila Terto Sartori Katayose, com o objetivo de levar para os alunos a alegria da personagem Juju que está presente em todos os eventos na escola.

Juju que sempre interagia e brincava junto com as crianças presencialmente; encontrou uma nova forma de interação e uma maneira divertida de se fazer presente para os alunos. Sua participação ativa no projeto Palavras Andantes fazendo a introdução e contextualização da história que vem a seguir, tem proporcionado momentos de aprendizado e alegria para todos os alunos da Escola Municipal Francisco Aquino Toledo.

Os alunos e pais têm gostado muito das aulas da Juju, e esperam ansiosos pela aula seguinte, pois a cada semana a personagem tem trazido uma divertida surpresa. Para a professora Joyce que dá voz a Juju, esta tem sido uma experiência muito gratificante pois percebe que tem levado alegria para a casa das crianças.

  bp prof fat v1

Trabalho desenvolvido pela professora Joyce Priscila Terto Sartori Katayose
Escola Municipal Francisco Aquino Toledo

 

divisor

 

 

TEMA: Nossa alimentação, nossa saúde!

Na Escola Municipal América Sabino Coimbra, a professora Paula Pereira de Oliveira Souza, tratou da temática alimentação saudável com 18 alunos da turma do 5º ano. Os objetivos de aprendizagem atendidos foram:

São muitos os fatores que levam a criança a se desenvolver de forma integral e a alimentação é um deles. Tendo em vista o proposto, a professora adotou como encaminhamento metodológico a leitura de textos do livro didático de Ciências e registros das atividades no caderno. Também apresentou no decorrer das aulas vídeos sobre o tema a fim de esclarecer e complementar o assunto. Nas aulas destacou-se que a alimentação compõe uma parte importante do “ser saudável”, contudo, há outros aspectos relevantes, como o sono-descanso e a prática de atividades e exercícios físicos. Para finalizar a proposta, a professora solicitou a realização de uma atividade: criar um cardápio saudável, incluindo café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar.

Através de conversas e orientações por meio do WhatsApp sobre o conteúdo e atividades solicitadas, foi possível constatar que alguns alunos precisam cuidar melhor da sua alimentação, pois assim foi relatado: “Estou comendo tudo errado”. Daí a importância de temas como esse que nos faz refletir sobre a nossa saúde.

Links:



Trabalho desenvolvido pela professora Paula Pereira de Oliveira Souza
Escola Municipal América Sabino Coimbra

 

  divisor

 

 

 

Tema: Cores

Este trabalho foi realizado na Escola Municipal Norman Prochet com os 60 alunos do 1º ano pela Regente do Projeto Londrina Global, Teacher Mônica Aparecida do Carmo Souza, com os seguintes objetivos de aprendizagem:

O foco do ensino e da aprendizagem foi “cores em Inglês”, com a utilização dos vídeos pedagógicos: “Color Mixing” (Misturando cores); “I see something blue”(Eu vejo algo azul) e “I see something Pink” (Eu vejo algo pink). Os alunos assistiram, leram e repetiram as cores que qualificam elementos do nosso cotidiano. A partir dos vídeos, foram desenvolvidos trabalhos de pinturas com as cores, recorte e colagens de objetos coloridos e prática oral de cores em Inglês: azul-blue, orange-laranja, red-vermelho, green-verde, black-preto, purple-roxo, pink-rosa, yellow-amarelo, brown-marrom” . O conteúdo foi contextualizado com o trabalho final de observação de objetos de dentro de sua casa que possuíam as cores apresentadas no vídeo “I see something Pink”. Os alunos separaram objetos da casa, com as cores e apresentaram, falando as cores deles em Inglês. A família enviou como feedback para “teacher” áudios ou vídeos com as crianças desenvolvendo a atividade. O resultado foi uma significativa participação das crianças, com apoio e empenho das famílias para a realização das atividades. A interação entre a “teacher” Mônica e as famílias foi feita pelo app WhatsApp, para sanar dúvidas e para enviar áudios e vídeos.

bp prof np vd1

Trabalho desenvolvido pela professora Mônica Aparecida Do Carmo Souza
Escola Municipal Norman Prochet

 

 

divisor

 

TEMA: Brincadeira Cama de gato

Na Escola Municipal Melvin Jones, a professora Elaine Marielen inicia suas aulas remotas, com os 20 alunos da turma do P4, pela rotina do dia. Desse modo, os alunos são estimulados a participarem da chamada, contagem, calendário e tempo. Em seguida, a professora apresenta a proposta de atividade do dia: a brincadeira “Cama de gato”, que intenciona os seguintes objetivos de aprendizagem:

Como encaminhamento metodológico, a professora mostrou a brincadeira com um vídeo exemplificando a sequência de movimentos que consiste em um dos participantes fazer passar entre os dedos um barbante, linha ou lã que tem suas pontas ligadas, criando com ele várias disposições ou armações. Através do vídeo explicativo a criança pode observar o passo a passo com as instruções necessárias para a realização apenas dos movimentos iniciais chegando até o movimento chamado “Cama de Soldado”. Por fim, a professora solicitou às famílias o registro da atividade por meio de foto ou vídeo das crianças brincando.

Para a professora Elaine, a brincadeira “Cama de gato” permitiu que o aluno ampliasse as suas habilidades manuais, além de ter incentivado a interação entre adultos e crianças. Algumas famílias relataram que se divertiram muito brincando com as crianças, havendo o envolvimento inclusive de avós que relembraram uma brincadeira de infância.

 

bp prof mj vd1

Atividade realizada pela professora Elaine Marielen
Escola Municipal Melvin Jones

 

 

divisor

 

TEMA: Boas vindas!


Quem gosta de chegar em algum lugar e perceber que o ambiente foi preparado com todo carinho para sua recepção? Pois essa foi a surpresa que 17 crianças do 2º ano da Escola Municipal Francisco Aquino Toledo tiveram. Ela foi preparada pela professora Márcia Aniele Venâncio Marcos que com a proposta intencionou:

A professora decorou o ambiente com personagens de contos e também se fantasiou de princesa para gravar um vídeo especial de boas vindas para seus alunos. No vídeo ela buscou demonstrar seu afeto pelas crianças através de um coração com o nome de todos os alunos no interior deste. No decorrer do filme também explicou como as aulas seriam conduzidas e sobre sua disponibilidade para atender as crianças.

Durante a aula, e nas que sucederam, as crianças demonstraram muito carinho e dedicação nas propostas trabalhadas. A professora relata que as atitudes superaram suas expectativas, pois os pais também demonstraram real interesse em ajudar na aprendizagem dos filhos durante esse cenário que estamos vivendo.

bp prof fat vd1

Atividade desenvolvida pela professora Márcia Aniele Venâncio Marcos
Escola Municipal Francisco Aquino Toledo

 

divisor

 

 

TEMA: Vamos Praticar Aquecimento Corporal?

Sabemos que muitos problemas de saúde são evitados com a prática de exercício físico. Nesse sentido, as aulas de Educação Física são indispensáveis, mesmo que remotamente, pois contribuem na manutenção do corpo. A prática do aquecimento corporal é, por sua vez, parte imprescindível antes de toda atividade física. Na Escola Municipal Nina Gardemann, os alunos do P5 ao 5º ano e suas famílias foram estimulados a se aquecerem. A atividade objetivou que a criança pudesse:

O aquecimento consiste na repetição de determinados exercícios com o objetivo de aumentar a temperatura corporal e prevenir lesões, além de preparar o corpo e a mente para a atividade física.

Após uma conversa informal e descontraída, os alunos e seus familiares foram convidados a se aquecerem, por meio de um vídeo enviado pelas professoras Juliana e Marizete no grupo de WhatsApp. A participação dos alunos foi bastante significativa, identificada por meio de vídeo, foto e até um “joinha” exprimindo a aprovação pelas famílias.

“Nesse friozinho, aquecer o corpo e a alma é bom demais!”

 

bp prof ng vd4

Professoras

bp prof ng vd3

Alunos

 

bp prof ng vd3

Alunos

 

Atividade desenvolvida pelas professoras de Educação Física, Juliana Rufino e Marizete Bahia
Escola Municipal Nina Gardemann

 

divisor

 

 

TEMA: Paisagem Sonora

A proposta apresentada pelas professoras Camila Corgosinho e Danielle Elias, do CMEI Marina Sabóia, foram destinadas às turmas C1 e C2, totalizando 36 alunos. O objetivo proporcionado pela atividade foi fazer com que as crianças pudessem:

Para iniciar a aula, as professoras apresentaram às crianças imagens de paisagens e as incentivaram a dizer o nome do que estavam vendo e o som que produzem. Na sequência, organizaram um ambiente pensando na acolhida e usaram um chocalho e uma baqueta para fazer a marcação de ritmo da canção Conversa de Bicho, PittyDriemeyer. Logo após solicitaram que as crianças acompanhassem a música batendo palmas e produzissem com a boca o som dos animais.

A proposta de musicalização com as turmas revelou um resultado surpreendente. As famílias enviaram vídeos das crianças realizando a experiência e deram feedback através de mensagens pelo WhatsApp relatando como foi o desenvolvimento da mesma: "Eu estou achando ótimas as aulas, ele gosta muito de ver vocês cantando e dançando... ele ama ver os vídeos". “Eu gostei de fazer essa experiência com ela e ela também amou. Se divertiu bastante, ela só não conseguiu fazer da chuva mesmo, mas depois eu continuei e ela aprendeu. Ela ama ver os vídeos de vocês cantando e brincando”. A partir das devolutivas foi possível avaliar que o objetivo da proposta foi atingido. A musicalização promove brincadeiras rítmicas e estimula nos alunos o gosto musical. Assim, as professoras com o auxílio das famílias estão oferecendo um elemento fundamental ao desenvolvimento das crianças.

bp prof cmei msn vd1

Atividade desenvolvida pelas professoras Camila Corgosinho e Danielle Elias
CMEI Marina Sabóia Nascimento

 

divisor  

 

TEMA: Higiene Bucal

O trabalho foi desenvolvido com 16 alunos matriculados na turma do C3 do CMEI Carolina Benedita dos Santos. As professoras Viviane, Patrícia e Vanderleia, por meio de vídeos alertaram para a necessidade de os alunos reforçarem seus hábitos de higiene bucal, demonstrando de maneira lúdica como fazer a escovação correta dos dentes após as refeições e sempre que necessário. Desse modo, os objetivos são:

Os alunos após assistirem aos vídeos produzidos e protagonizados pelas professoras, que narram histórias sobre escovação e saúde bucal, realizaram a higienização da boca em casa. As famílias foram orientadas a levarem às crianças até um espelho, para que as mesmas conseguissem visualizar toda a ação. Sabemos que a saúde bucal é resultado de uma escovação adequada e frequente, mas além disso é necessário ter também bons hábitos alimentares. Nesse sentido, as professoras explicaram sobre a importância de não comer em excesso alimentos ricos em açúcares, pois esses podem provocar a cárie, prejudicando assim a dentição.

O estudo dirigido possibilitou o envolvimento das famílias no acompanhamento das atividades realizadas pelas crianças. O resultado foi exitoso, as famílias encaminharam vídeos e fotos às professoras, os quais demonstram a participação ativa da turma do C3 nesse momento de aprendizagem e conscientização sobre saúde bucal e alimentação saudável.

bp prof cmei cbs vd2

Vídeo 1 - Escovação

 

bp prof cmei cbs vd2

Vídeo 2 - História sobre Escovação)

Trabalho desenvolvido pelas Professoras Viviane B. de Souza, Patrícia R. Pauino e Vanderleia Ap Costa Ferreira
CMEI Carolina Benedita dos Santos

 

divisor  

 

TEMA: Brincando com o Corpo e com Colheres

O trabalho proposto foi desenvolvido com 20 alunos do C2 do CMEI Valéria Veronesi. A professora Ana Paula Brito, regente da turma, inicia sua aula remota cantando uma música como acolhida às crianças e suas famílias. Em seguida, apresenta os objetivos de aprendizagem de sua proposta:

Na sequência, a professora mostra as colheres que irá utilizar para o desenvolvimento da aula e também exemplifica algumas possibilidades de manuseio com o corpo. Apresenta também um áudio como repertório musical para a criança ouvir durante a brincadeira. Por fim, solicita às famílias como sugestão de registro, o envio de fotos ou vídeos das crianças vivenciando essa rica experiência.

No decorrer da aula, a professora Ana Paula recebeu o retorno das famílias através de fotos, vídeos e áudios enviados pelo WhatsApp. Nos registros foi possível observar a disposição e a alegria das crianças em realizar a atividade, interagindo com a professora, realizando os gestos e criando outros cenários para a brincadeira, bem como, o empenho e esforço das famílias em incentivar a criança a realizar a atividade. De modo geral, a proposta foi bem aceita pelas crianças que brincaram e demonstraram sua aprendizagem por meio dos gestos e movimentos, atingindo os objetivos da aula.

De acordo com a professora Ana Paula, mesmo diante da nova realidade que se coloca a necessidade do atendimento remoto, as crianças pequenas não deixaram de desfrutar de uma nova experiência, a qual promove o seu desenvolvimento motor e sensorial.

bp prof cmei vv vd1

Atividade desenvolvida pela professora Ana Paula Brito
CMEI Valéria Veronesi

 

divisor  

 

TEMA: Era uma vez um gato xadrez


A proposta de trabalho foi desenvolvida com aproximadamente 28 alunos do P5A e P5B da Escola Municipal Nina Gardemann. A mesma foi elaborada pelas professoras Maria Luisa Biondi Faga e Adriana Parente para que os alunos pudessem:


Elas trabalham a sequência didática sobre a história “Era uma vez um gato xadrez” e dentro da sequência exploraram a arte.
Iniciaram a conversa com os alunos a respeito das obras que eles apreciaram (no material que foi enviado para ser realizado em casa) e os elementos nelas contidos como: ponto, linha, cores, formas, sombras,etc. Trataram também das características que cada artista possui ao pintar suas obras e questionaram os alunos sobre as vivências com gatos no seu cotidiano.

Em seguida realizaram observação das obras: Família de gatos - Ademir Martins, Gato Angorá - Jerci Maccari, Gatinhos - Romero Britto, O Gato - Clovis Graciliano, Escultura em fibra de vidro – Tooartse.

Então as crianças foram orientadas a escolher uma obra que mais lhe chamou atenção e responderam questionamentos a cerca deste interesse.

Partindo do repertório, da observação feita nas obras apresentadas e da utilização de elementos da linguagem das artes visuais, as professoras orientaram os alunos a criarem uma produção artística a sua maneira, e também ofereceram sugestões variadas para pintura.

A devolutiva da família foi através de vídeos e fotos, onde as professoras conseguiram avaliar o quanto a aprendizagem foi significativa para os alunos.

bp prof ng vd1Clique na imagem para acessar as fotos e o vídeo

Atividade desenvolvida pelas professoras Maria Luisa Biondi Faga e Adriana Parente
Escola Municipal Nina Gardemann

 

divisor 

 

TEMA: Cores e animais


Este trabalho envolvendo cores e animais foi elaborado pela professora Hélida Regina Santana que faz parte do Projeto Londrina Global. Ele foi realizado com 88 alunos dos P5 e 1º anos da Escola Municipal Drº José Hosken de Novaes com os objetivos de possibilitar aos alunos:

No início da aula as crianças acessaram um link que continha a narração da história “Brown Bear, Brown Bear, What Do You See? - Bill Martin Jr” realizada pela professora. Durante o vídeo é possível visualizar as imagens do livro narrado e a professora. Após a narrativa, muito envolvente por sinal, as crianças foram convidadas a repetir o nome dos animais e as cores que cada um é representado na história, tudo isto na língua inglesa, enquanto apontam para a imagem fornecida na última página do livro. Ainda para estimular a pronuncia a professora convidou para um jogo de adivinhação a partir do som produzido pelo animal, onde ao adivinhar a criança deveria responder pelo nome e cor do animal, em inglês. Como atividade final os alunos, com a ajuda dos pais, fizeram uma máscara do Brown Bear e ao colocá-la deveriam falar, cantar ou contar em inglês e, se possível, enviar um vídeo para a professora deste momento.

Como resultado a professora recebeu mais de trinta e cinco vídeos das crianças. Algumas cantaram, outras contaram, e outras falaram trechos da história, ou fizeram tudo junto. A professora constatou que a atividade foi executada pelas crianças e famílias com empenho, interesse e entusiasmo. Ela também percebeu que as crianças prestam mais atenção quando é ‘a professora delas’ contando a história porque querem ver a “teacher”.

Vídeos:

bp prof jh vd1

Vídeo 1 – aula

 

bp prof jh vd1
Vídeo 2 – experiência

 

Atividade desenvolvida pela professora Hélida Regina Santana
Escola Municipal Dr José Hosken de Novaes

 

divisor  

 

TEMA: Butterfly Life Cycle (Ciclo de Vida da Borboleta)


A proposta de trabalho do Projeto Londrina Global foi desenvolvida com aproximadamente 100 alunos do 1º e 2º ano da Escola Municipal Arthur Thomas. A mesma foi elaborada pela professora Monica Bossa dos Santos Schmid com os objetivos de:

A proposta da professora consistiu em inicialmente as crianças assistirem um vídeo disponível no YouTube com base na história “The very hungry caterpillar” (Eric Carle), o vídeo apresenta a contação da história e é narrado por uma contadora de histórias fluente na língua nativa inglesa.


Em seguida a teacher montou um vídeo aula narrada em inglês/português contando o ciclo de vida da borboleta. Esta parte da aula explorou o “listening/comprehension” (compreensão auditiva em Inglês) do ciclo de vida da borboleta. A pronúncia destas palavras foi enfatizada no vídeo: egg (ovo), tiny caterpillar (lagartinha), fat caterpillar (lagarta gorda), cocoon (casulo), butterfly (borboleta), para as crianças repetirem e poderem contar a história, em Inglês. Para finalizar os alunos fizeram fantoches do ciclo da borboleta, utilizando palitos de sorvete e gravam um vídeo contanto a história do ciclo de vida do inseto e enviaram para a professora e colegas de sala.

bp prof at video2

Vídeo 1 – aula

 

bp prof at video2
Vídeo 2 – relato da experiência

Atividade desenvolvida pela professora Monica Bossa dos Santos Schmid
Escola Municipal Arthur Thomas

 

divisor  

 

TEMA: Circuito Motor - Habilidades Locomotoras

 

Na Escola Municipal Anita Garibaldi, as aulas remotas de Educação Física possibilitaram experiências motoras fundamentais para a promoção do desenvolvimento infantil, sem perder de vista as vivências lúdicas. A atividade proposta para a turma de 2º ano teve como objetivo:

O circuito motor proposto como atividade remota contribuiu para a criação de um contexto lúdico, com inúmeras possibilidades de práticas das habilidades motoras de locomoção. Tendo em vista os diferentes contextos sociais das famílias, a atividade sugeriu a flexibilização no uso de materiais domésticos, de modo que objetos encontrados em sua própria residência pudessem ser utilizados, tais como: vassouras, cadeiras, mesas, tapetes, cordas, degraus, brinquedos, garrafas pet e outras embalagens recicláveis e etc.

A atividade deu ênfase à vivência de diversas formas de habilidades motoras: correr, saltar, quadrupejar, escalar, “nadar”, rastejar.

Os alunos com ajuda de familiares montaram e vivenciaram em suas casas, o circuito motor criado por eles próprios, com muitas variações de acordo com disponibilidade de espaço físico, materiais e objetos. Foi possível identificar por meio de áudios que as formas de locomoção estavam sendo identificadas, o que mostra a efetividade da atividade proposta.

 

bp prof helvio

, bp prof helvio

Atividade proposta pelo Professor de Educação Física Elcio Luiz Rublo
Escola Municipal Anita Garibaldi

 

divisor 

 

Tema: ”FEELINGS” (SENTIMENTOS)

Nos últimos dias, a nova rotina imposta pela pandemia tem gerado muitas privações de convívio social. Não estamos indo à escola, às praças, aos shoppings e tantos outros lugares, não é mesmo?
Para pensar um pouquinho sobre como é gostoso participar desses passeios, a professora Viviane Mayer que atua no Projeto Londrina Global, na Escola Municipal professor Hélvio Esteves, propôs um trabalho com seus alunos dos 5º anos.
Os objetivos foram:

A aula começa explorando o contexto Parque de Diversões (tema trabalhado anteriormente) e retoma palavras (vocabulário) comuns a este ambiente, como por exemplo: roda gigante, trem fantasma, chapéu mexicano e outros. Após essa revisão, os alunos foram instigados a pensarem sobre os sentimentos e sensações que são desencadeados em uma visita a um Parque de Diversões, e também, durante as experiências vivenciadas nos brinquedos.

Na sequência da aula foram apresentados sentimentos e sensações tais como: medo, curiosidade, faminto, bravo, petrificado, doente, bem, triste e outros.

Além das imagens, foi apresentada a pronúncia dos sentimentos em inglês, trabalhando o que chamamos de “listening”, ouvir e compreender a pronúncia de palavras na Língua Inglesa. A atividade proposta foi escolher cinco dos sentimentos apresentados e fazer uma representação deles com desenhos para que houvesse a compreensão e fixação do vocabulário. Depois, os alunos escreveram o nome dos sentimentos representados, em inglês, e fizeram uma frase expressando sentimentos e sensações.

Essa aula atingiu 52 crianças. Foi possível avaliar a aprendizagem por meio das atividades realizadas e enviadas pelos pais no grupo de whatsApp das turmas da escola, e assim, a professora pôde acompanhar as frases escritas pelas crianças e também entender como estão se sentindo neste momento.

Estes são exemplos de algumas atividades enviadas pelos pais: 

bp prof helvio

 

 

Trabalho desenvolvido pela professora Viviane Mayer
Escola Municipal Professor Hélvio Esteves

 

divisor    

 

Tema: BRUXA BRIXÍSSIMA - CANTA, CONTA, EDUCA E ENCANTA

Na escola Municipal Reverendo Odilon Gonçalves Nocetti a Bruxa Brixíssima e a Vovó Alegria fazem a alegria das crianças. Tais personagens foram criadas pela professora Sara e tem proporcionado histórias ricas em experiências e fantasias que despertam a sensibilidade e promovem hábitos de leitura.

Com frequência a professora Sara compartilha com todos os professores da escola uma nova história, sendo enviada posteriormente aos alunos das turmas de Educação Infantil e Ensino Fundamental, totalizando assim 14 turmas.

Neste último vídeo, a Bruxa Brixíssima conta uma história que instrui de forma divertida e incentiva os alunos a se previnirem contra o coronavírus. Vê-se que as histórias tem possibilitado às crianças oportunidade, ainda que remotamente, de interagirem com as personagens, de estimularem a imaginação e de possibilitarem novas descobertas. A contação de histórias que chega à casa dos alunos permite reavivar o lúdico por meio deste excelente recurso pedagógico.

Trabalho desenvolvido pela professora Sara Silva
Escola Municipal Reverendo Odilon Gonçalves Nocetti

 

divisor  

 

Tema: HIGIENE TODOS OS DIAS


Vamos falar sobre hábitos de higiene pessoal? A professora Angélica Borges, da Escola Municipal Zumbi dos Palmares, tratou da temática com 20 alunos da turma do 1º ano.


Para discutir o assunto de modo prazeroso e lúdico, foi disponibilizado aos alunos um vídeo, onde a professora caracterizada com trajes de banho, apresenta os produtos de higiene corporal que utiliza no seu dia a dia. Esta proposta faz parte de uma sequência de atividades destinadas a tratar do tema. Desse modo, no decorrer das aulas, os alunos foram estimulados a identificar as ações higienizadoras, observar os horários nos quais realizam tais ações, separar os produtos que utilizam na sua própria higiene pessoal, registrar por meio de desenhos os produtos e escrever os nomes deles, além de terem tido contato com músicas que tratam do assunto (Masha e o urso - higiene pessoal, dança da escovinha - Bob-zoom, banho é bom - Castelo rá-tim-bum).

O vídeo apresentado pela professora Angélica traz de forma simples elementos importantes sobre as etapas de realização das atividades, orientando sobre as formas de registro no caderno. Além disso, apresenta uma mensagem indispensável no atual tempo, a de que que os hábitos de higiene do corpo são imprescindíveis para a manutenção da saúde. A professora buscou destacar a necessária atenção que os alunos precisam ter no que se refere a higiene corporal diária.

A atividade suscitou a participação ativa dos alunos durante as aulas, os quais com o auxílio das famílias enviaram perguntas, fotos e vídeos. O objetivo foi alcançado nesse reforço da higienização cotidiana e principalmente na promoção da saúde de todos. O resultado foi surpreendente e muito satisfatório!

bp prof zumbi

Atividade desenvolvida pela professora Angélica Borges
Escola Municipal Zumbi dos Palmares

 

Fotos da atividade:

bp prof zumbi foto

Veja os vídeos das alunas clicando nos links:

 

divisor

 

 

Tema: ANIMAIS VERTEBRADOS E INVERTEBRADOS


O trabalho proposto foi desenvolvido na Escola Municipal América Sabino Coimbra com as turmas dos 3º anos, abrangendo cerca de 150 alunos. Foi apresentado aos alunos um vídeo que trata do conteúdo animais vertebrados e invertebrados. O objetivo atendido foi:


Para introduzir o conteúdo de animais vertebrados e invertebrados, a professora Nathália Alves da Silva produziu um vídeo que conta a história intitulada “Animais aventureiros”, cuja protagonista é a formiguinha Bibi. A narrativa além de abordar o conteúdo proposto, contempla também mensagens que reforçam o necessário isolamento social e cuidados com a higiene das mãos devido a Covid-19. A abordagem da história possibilitou que o conteúdo fosse relacionado à realidade vivenciada atualmente pelos alunos e suas famílias.


Após assistirem ao vídeo da história, os alunos realizaram uma atividade de interpretação por meio de perguntas enviadas pelo Plano de Estudos Dirigidos (PED). Durante as atividades, alguém da família ou mesmo os próprios alunos entravam em contato com a professora para tirar eventuais dúvidas ou para ter mais explicações.

 

bp prof as video
Trabalho desenvolvido pela professora Nathália Alves da Silva
Escola Municipal América Sabino Coimbra

 

divisor  

 

Tema: DE LAGARTA À BORBOLETA

Na Escola Municipal Nina Gardemann, as professoras Ana Paula e Emília desenvolveram uma atividade na área de Ciências, com os 45 alunos do 1º ano A e B. Com o objetivo de promover o conhecimento sobre o ciclo de vida dos seres vivos e a criação de uma história a partir da confecção de fantoches sobre o tema. Para isso foi apresentado um estudo sobre a borboleta, tendo em vista as mudanças que elas sofrem até se tornarem adultas. Foi explorada a história da Lagarta Comilona, e em seguida, sugeridas atividades junto às famílias, como a confecção de fantoches e a partir deles, a criação espontânea de histórias. Por meio das representações das crianças, foi possível verificar que elas identificaram as diferentes fases de vida da borboleta como o ovo, a larva, a pupa e finalmente a vida adulta.

As crianças perceberam que a borboleta é um ser vivo que sofre metamorfose, ou seja mudanças em seu corpo até se tornarem adultas. A borboleta adulta é uma fase da vida em que ela pode voar e se reproduzir.

O estudo proposto no livro de Ciências possibilitou a compreensão de que os seres vivos tem ciclos de vida específicos, assim os seres humanos também passam por mudanças até chegarem à vida adulta, mas diferentemente dos estágios da borboleta.

A participação das crianças foi identificada por meio dos vídeos e fotos enviados pelas famílias. A interação da criança com os familiares foi um indicador importante da participação e envolvimento na atividade proposta.

  bp nina video2

Vídeo 1

bp nina video2

Vídeo 2

Atividade desenvolvida pelas professoras Ana Paula Magro e Emília Liberati
Escola Municipal Nina Gardemann 

 

divisor  

 

Tema: VAMOS AFASTAR O INIMIGO?

O trabalho foi desenvolvido com as crianças do CMEI Vanderlaine Aparecida Rodrigues Ribeiro e contribuiu para o processo de conscientização sobre os cuidados com a higiene, em especial nesses tempos de pandemia. O objetivo da proposta foi compreender a importância da lavagem correta de mãos para o combate de micro-organismos, seres invisíveis a olho nu, chamados de micróbios ou germes.

Em primeiro lugar, a professora utilizou um vídeo que sugeriu que a criança vivenciasse uma experiência com água e orégano. Posteriormente, a criança foi instigada a colocar a mão nessa água e a observar o que aconteceria. A ideia é que percebessem o orégano grudado na mão repetindo o procedimento algumas vezes. Depois orientou que a criança passasse detergente nas mãos e novamente as colocassem na água. Diante da situação, a professora sugeriu que o adulto ou pessoa mais experiente que estivesse acompanhando a criança em suas atividades remotas levantasse algumas problematizações: O que você observou? Por que será que isso ocorre? O que o orégano representa? O que acontece se tocarmos nele? E quando usamos o detergente?

A situação foi propícia para ensinar a criança sobre a importância da lavagem frequente das mãos. Possibilitou entender que a porta de entrada principal do vírus são as mucosas da cavidade oral, por isso é necessário a adoção de práticas frequentes de lavagem frequente das mãos, pois caso estejam nelas poderão ser levados facilmente à boca. O vídeo estimulou a criança a encontrar a solução do “problema”, levando-a a entender que lavar as mãos frequentemente com água e sabão é uma das atitudes correta para se combater o vírus.

A realização da experiência promoveu também um envolvimento grande das famílias. A descoberta de que o detergente repele o orégano foi essencial para trazer à tona a discussão sobre a importância da lavagem correta das mãos. Para complementar a ação educativa, é importante também alertá-la sobre o uso de máscaras e a necessidade de evitar aglomerações.

  bp prof video3

Atividade desenvolvida pela Professora Amanda Oech da Silva Cortez
CMEI Vanderlaine Aparecida Rodrigues Ribeiro

 

divisor 

 

Tema: TORNANDO O ACESSO AO PED MAIS DINÂMICO E FÁCIL

Na Escola Municipal Pedro Vergara Correa, um encaminhamento pedagógico adotado facilita a compreensão dos alunos e famílias sobre como realizar as atividades propostas durante as aulas remotas. O trabalho tem sido realizado com os 23 alunos do 5º ano e objetiva:

No início do período previsto para estudo, a professora disponibiliza um vídeo às famílias e alunos com o intuito de fornecer orientações claras de como conduzir a realização de estudos e registros das atividades, mostrando a sequência de atividades para o dia. O vídeo traz elementos importantes sobre as etapas de realização das atividades, ensinando o passo a passo que o aluno deverá seguir durante os estudos. De modo simples, o vídeo explicativo orienta o aluno sobre as formas de registro no caderno e as informações que necessitam ser priorizadas, bem como apresenta uma explicação sobre os conteúdos propostos de forma objetiva e bem didática. O encaminhamento contribui para que o tempo de estudo seja otimizado e que o aluno saiba de fato, o que se espera dele naquela aula remota.

Essa forma adotada para iniciar as atividades torna o trabalho mais claro e prático, favorecendo que aluno se organize melhor durante o trabalho. As famílias dão feedbacks positivos sobre esse encaminhamento, e desde que adotado contribuiu para a melhoria da compreensão sobre o processo de estudo remoto. Foi identificada maior organização das atividades no caderno, bem como maior segurança do aluno no momento de realizar os registros. A orientação dada desta forma proporciona mais direcionamento, praticidade e organização na hora dos estudos.

 

Trabalho desenvolvido pela professora Alana Cristina Destacio Santana
Escola Municipal Pedro Vergara Correa

 

divisor  

 

Tema: BRINCANDO COM PRENDEDORES DE ROUPA 

Que tal unir diversão e aprendizagem? Uma atividade intencional que proporcione a exploração de prendedores de roupas, e que objetive explorar e brincar com materiais diversos foi uma ação pedagógica desenvolvida para a turma de Educação Infantil, C1 do CMEI Vanderlaine Aparecida Rodrigues Ribeiro. A atividade remota proposta pela professora uniu a vivência lúdica com o estímulo à experiência sensorial. As Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Infantil (DCNEI) indicam as Interações e Brincadeira como eixos estruturantes das práticas pedagógicas. Diante disso, a referida proposta possibilita uma experiência significativa para os bebês, que podem explorar e brincar, utilizando um objeto doméstico de uso cotidiano e de baixo custo.

A professora encaminha um vídeo para as famílias com orientações sobre a proposta a ser desenvolvida com as crianças. No vídeo, de forma carinhosa e lúdica, a professora mostra como fixar os prendedores de roupa na borda de uma bacia, e ensina também a pendurar “meias” no varal. A ideia é que a criança faça tentativas de retirar os prendedores espontaneamente e tentem colocá-los novamente, assim o adulto pode mostrar a ela como fazer e depois deixá-la que explore e brinque à vontade.

A atividade possibilitou o envolvimento das famílias na organização e acompanhamento da experiência, e das crianças, no manuseio e exploração dos prendedores de roupas. Fica a dica: em casa, os objetos domésticos de uso cotidiano se constituem em importantes recursos para ampliar as experiências sensoriais das crianças.

  bp prof cmei vr

Atividade desenvolvida pela professora Sheila Ferreira Marques
Cmei Vanderlaine Aparecida Rodrigues Ribeiro

  divisor

 

 

Tema: CORREÇÕES E ORIENTAÇÕES DE ATIVIDADES REMOTAS EM TEMPO REAL

O trabalho tem sido desenvolvido com a turma do 2º ano A da Escola Municipal Pedro Vergara Correa, durante os horários de estudos dirigidos. Os objetivos são:

Tendo em vista o atendimento remoto aos 21 alunos da turma, a professora disponibiliza diariamente, orientações aos pais e aos estudantes por meio de materiais específicos: vídeos e documentos compartilhados via Drive, por meio do WhatsApp. No decorrer do estudo dirigido, as famílias são incentivadas a encaminharem fotos, vídeos e/ou áudios de atividades realizadas pelas crianças para o número de WhatsApp particular da professora. Utilizando ferramentas básicas do Microsoft Word, a professora faz anotações nas fotos, realizando correções e fornecendo orientações/feedbacks aos pais e alunos em tempo real. Geralmente, junto com a foto, são encaminhados áudios da professora ao aluno, e esses contém elogios, mensagens de incentivo e de carinho, além de orientações para realizar possíveis correções. São encaminhados também áudios às famílias, com orientações claras de como conduzir as correções que estão sendo indicadas.

Com essa prática, é possível avaliar as aprendizagens construídas pelo aluno, bem como identificar as suas dificuldades no decorrer do processo de estudos, fornecendo direcionamentos em tempo real a partir de orientações fornecidas por diversificadas formas representacionais, tais como figurativa (fotos e recursos visuais elaborados sobre elas), verbal escrita (mensagens via WhatsApp e elaboradas sobre as fotos) e verbal oral (áudios). Essa ação oferece a possibilidade de se analisar as atividades que já foram propostas e como elas foram conduzidas e, assim, refletir e tomar decisões para melhor direcionar as próximas ações pedagógicas. Trata-se de uma relevante estratégia de acompanhamento e de fornecimento de feedbacks imediatos aos alunos e famílias.

bp prof pv

Trabalho realizado pela Professora Keila Tatiana Boni
Escola Municipal Pedro Vergara Correa.

  divisor 

 

 

Tema: HOUSE VOCABULARY

O trabalho foi realizado com 56 alunos matriculados nas turmas de 5º anos da Escola Municipal Maria Carmelita Vilela Magalhães e retratou práticas  de ensino do Projeto Londrina Global. O mesmo foi desenvolvido pelas professoras Edilaine Morais de Mello e Márcia Elaine de Oliveira e teve os seguintes objetivos:

As atividades propostas foram realizadas remotamente e contaram com o apoio e envolvimento das famílias dos alunos. Partiu da proposta de estudo do contexto ‘house’ e buscou assegurar uma aprendizagem significativa, na qual novas informações foram se integrando à realidade do aluno e ao que ele já sabe na sua língua materna.

Uma sequência de vídeos foi sendo apresentada aos alunos, semanalmente.  Inicialmente os alunos assistiram ao vídeo da “teacher” que explorou o contexto “house” e apresentou imagens dos diferentes espaços de uma moradia com seus respectivos nomes. Os alunos foram estimulados à produção oral de vocabulário sobre o tema em estudo, bem como o conhecimento e reconhecimento dos cômodos de uma casa, o que permitiu a ampliação do repertório na língua inglesa. Os alunos fizeram algumas atividades referentes ao assunto, como por exemplo, uma tabela com “house vocabulary”, caça palavras, desenho do cômodo favorito da casa, dentre outros. Também foi proposto o game YES or NO por meio do vídeo disponibilizado pela ‘teacher’, que de forma lúdica promoveu aprendizagens com maiores sentidos para os alunos.

Trabalho desenvolvido pelas Professoras do Projeto Londrina Global da
Escola Municipal Maria Carmelita com alunos dos 5º anos

  divisor

 

 

Tema: LONDRINA GLOBAL VAI À CASA


O trabalho foi desenvolvido pela professora do Projeto Londrina Global e atendeu aproximadamente 113 alunos matriculados nos 1º anos da Escola Municipal Dr. Joaquim Vicente de Castro. Teve como objetivos:

Os pais receberam por meio do grupo de whatsApp material para que as crianças pudessem fazer as atividades remotas. Foram disponibilizadas as músicas “Counting 1-10 Song” e “Ten Little Indians Nursery Rhyme” e as crianças foram incentivadas a cantá-las.

Posteriormente, fizeram a escrita dos números e desenharam a quantidade correspondente a cada um deles, em seus cadernos.
Houve significativa participação e empenho das famílias no apoio às crianças durante a atividade. Imagens e vídeos ilustrativos enviados pelas famílias revelaram o desempenho das crianças durante a proposta e sinalizaram a importância que atribuem ao Projeto Londrina Global. No decorrer das atividades, quando no surgimento de dúvidas, as famílias ou até os próprios alunos entraram em contato com a “teacher” pelo WhatsApp para saná-las. As devolutivas também foram feitas pela “teacher” a todos os alunos, motivando e incentivando a participação deles nas demais atividades propostas pelo Projeto.

 

Trabalho realizado pela Professora Roberta Poliana Acosta Bueno
Escola Municipal Dr. Joaquim Vicente de Castro

  divisor

 

 

Tema: PARLENDA DO DEDO MINDINHO


O trabalho foi desenvolvido com a turma da Educação Infantil (P5) da Escola Professor Joaquim Pereira Mendes. Foi apresentada para as crianças uma parlenda do folclore brasileiro. Os objetivos foram:

Inicialmente foi realizada uma breve contextualização sobre o conceito parlenda e em seguida recitou-se a parlenda. Posteriormente, foram feitas algumas perguntas sobre ela para que as crianças pudessem responder. Por fim, apresentou-se uma proposta de registro.

Os resultados revelaram aprendizagens pelas crianças. A participação e o empenho de grande parte das famílias contribuíram significativamente para isso. Durante o período, os responsáveis enviaram fotos e vídeos que demonstravam as crianças recitando a parlenda e fazendo o registro. Com as devolutivas foi possível avaliar de maneira mensurável que as propostas que envolvem as interações e a brincadeira (eixos norteadores da Educação Infantil), ainda que à distância, são o que de melhor podemos proporcionar no momento para nossas crianças.

Trabalho realizado pela Professora Camila Gava Squarsi Galvão
Escola Municipal Professor Joaquim Pereira Mendes

  divisor

 

 

Tema: NOSSA ESCOLA, SUA HISTÓRIA, LOCALIZAÇÃO E CARACTERÍSTICAS

O trabalho foi realizado com as turmas do 4º ano A e B da Escola Municipal Maria Carmelita Vilela Magalhães, e teve como objetivos possibilitar que os alunos:

A aula alcançou 58 crianças as quais tiveram acesso ao material impresso com os conteúdos contidos no vídeo. A abordagem da história da Escola Municipal Maria Carmelita Vilela Magalhães partiu da análise de fotografias e do contexto histórico retirado do Projeto Político Pedagógico (PPP), o que trouxe às famílias e às crianças a sensação de pertencimento e identificação. Em pesquisas prévias com as famílias, identificou-se que muitos pais também estudaram na escola e tiveram muitas vivências por lá. A leitura do histórico e a visualização da foto permitiram a identificação das mudanças e permanências do passado e presente, e isso favoreceu o entendimento de que a história é resultante da ação das pessoas e que todos nós fazemos parte dela.

Trabalho realizado pela Professora Bruna Ester Gomes Yamashita
Escola Municipal Maria Carmelita Vilela Magalhães
 

 

Imprimir